• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Os NIMBY (not in my back yard) so um problema, mas a legislao favorece o mercado de plantas de lixo-gerando-energia.
País: Europa
Fonte: Warmer Bulletin #05-2003: February 16
Data: 2/2003
Enviado por: Kit Strange (Warmer Bulletin)
Curiosidade (texto):
A indstria do lixo-gerando-energia confrontada pelo crescimento da oposio de grupos de presso ambientalistas e pelas objees levantadas pelos NIMBYs aqueles veteranos que proclamam No meu quintal no, contra a localizao e desenvolvimento de grandes facilidades para o lixo especialmente plantas de tratamento trmico.

Os consultores Frost & Sullivan relatam que alm da preocupao declarada dos crticos, sobre as emisses e despejos das cinzas, eles alegam que o tratamento trmico do lixo reduz o incentivo reciclagem de materiais porque as plantas de lixo-gerando-energia precisam manter um montante constante de lixo comercial e industrial para garantir a viabilidade. A sndrome NIMBY particularmente evidente nos pases ecologicamente conscientes e nos pases com tratamento interno e capacidade de descarte pouco desenvolvidos. A intensidade da resistncia continuada est atrasando a construo de novas facilidades para o lixo-gerando-energia.

Apesar dessa oposio, o crescimento do mercado europeu de lixo-gerando-energia se manter durante a prxima dcada. De acordo com um novo estudo da Frost & Sullivan, consultores de mercado internacional, alguns pases europeus adotaram o lixo-gerando-energia, com aproximadamente 340 fbricas que processaram um volume anual de cerca de 50 milhes de toneladas de lixo municipal em 2002.

Cada residncia descarta cerca de uma tonelada de lixo, em bases anuais, e as projees da Frost & Sullivan indicam que as facilidades para o gerenciamento do lixo precisaro dobrar de nmero at 2020.

As proibies de aterro sanitrio para melhorar as taxas de reciclagem principalmente a adoo das Diretrizes para Aterro Sanitrio da UE, representam um estimulo ao crescimento do mercado Europeu de plantas de lixo-gerando-energia. A Frost & Sullivan acredita que 166 plantas sero autorizadas atravs da Europa, entre 2003 e 2009, quando o mercado total ter o valor de US$313,6 milhes.
O mercado atualmente dominado por plantas de queima (queima de massa), mas est previsto que a diversificao de tipos de plantas e variaes em tamanho ser amplamente estimulada pela grande taxa de crescimento derivada do mercado de plantas emergentes de pirlise e gasificao e o futuro desenvolvimento do mercado de plantas de cama fluidificada.

nfase no princpio de hierarquia do lixo, favorecimento da minimizao do lixo sobre o descarte para reutilizao ou reciclagem, tanto quanto mtodos trmicos, biolgicos e, como ltimo recurso, de aterro sanitrio, favorecero os prospectos de um mercado europeu de plantas de lixo-gerando-energia.

A maturidade de alguns mercados de servios de lixo, poderiam, pelo contrrio, afetar a ampla renda Europia e o preo competitivo. O estudo cita a regio dos Alpes e a Alemanha, que encabeam a implementao de novos mtodos de tratamento e descarte (tais como o tratamento trmico e biolgico), como exemplos-chave.

Os consultores apontam para a falta de vontade poltica como outro srio impedimento para a construo de plantas de lixo-gerando-energia. Enquanto a nvel de UE, as diretivas foram passadas para aperfeioar a reciclagem de embalagens, limitar o impacto ecolgico de incineradores e reduzir o impacto do lixo em aterro sanitrio, o compromisso com estes assuntos a nvel nacional discutvel.

Compradores neste mercado, tais como empresas tratadoras de lixo e municipalidades, esto sofrendo uma presso cada vez maior para provar e informar sobre suas credenciais verdes. Aqueles responsveis pelas compras ou pela especificao dentro de uma organizao, tomam suas decises de compra cada vez mais ecologicamente conscientes.

Escolher fornecedores com a imagem de uma marca forte e com caractersticas verdes reconhecidas, ajudar a restaurar a reputao dos compradores, potencialmente manchada por causa do efeito nocivo de acidentes de segurana ou ecolgicos, ocorridos nas pla