• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:







Curiosidades


Assunto: UNICAMP: Aproveitamento do alumnio das embalagens "longa vida" ps-uso, para proporcionar Comforto Trmico
País: Brasil
Fonte: Ambiente Brasil
Data: 6/2003
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Objetivo Utilizao do alumnio presente nas embalagens de leite e de outros alimentos "longa vida", ps-uso, como refletor de calor, para aumentar o conforto trmico nas edificaes. Nestas embalagens, o alumnio protege os alimentos da incidncia de luz, entrada de oxignio e de vrus. Princpio Fsico O alumnio tem a propriedade fsica de refletir mais de 95% do calor que chega atravs de radiaes, e de emitir menos de 5%, dependendo do estado de polimento de sua superfcie. Beneficirios em Potencial Habitaes precrias, escolas, escritrios, oficinas e etc...(ver figura) Forma de Utilizao A- Como subcoberturas, sob telhados, na forma de mantas feitas com as caixinhas abertas e coladas lado a lado. B- Refletindo o calor e a luz solar incidente, na forma de persianas e cortinas. Em qualquer das formas utilizadas, o material das embalagens no alterado. Trata-se de uma transformao do material atualmente destinado ao lixo, em material de construo, com uma utilizao muito nobre (ver figura). Portanto, muito melhor do que uma reciclagem. Composio do Material das Embalagens "Longa Vida" O material das embalagens "Longa Vida" constitudo de um multilaminado formado por: De dentro para fora: - 2 camadas de polietileno. - 1 camada de alumnio de 0,035 mm de espessura. - 1 camada de polietileno. - 1 camada de papelo. - 1 camada de polietileno. Com as seguintes participaes: Alumnio: 5% Plstico: 20% Papelo: 75% Considerando-se uma produo anual em torno de 6 bilhes de unidades, teremos as seguintes quantidades de materiais potencialmente reciclveis, desde que fosse possvel sua separao completa: Alumnio: 8.400 ton/ano Plstico: 33.600 ton/ano Papelo: 168.000 ton/ano Devido forte aderncia entre estas camadas, torna-se impossvel a separao das mesmas de uma forma econmica. Cerca de 15% deste total parcialmente reciclado, recuperando-se a celulose e o polietileno contendo o alumnio, e no qual o alumnio aparece degradado na forma de impureza, ou de enchimento, configurando-se assim uma inverso de valores econmicos. O resto, 85% das embalagens usadas, enterrado como lixo. O alumnio consome enorme quantidade de energia eltrica para ser produzido: 14,7 MWh/ton o que totaliza 123.480 MWh "jogados" no lixo. o que se chama de "eletro-lixo". Motivao Inicial do Projeto Diversos fatos motivaram a origem deste projeto, como segue: Benefcio para a Qualidade de Vida, Sade e Conforto Milhes de famlias brasileiras de baixa renda, tem suas habitaes cobertas com telhas de cimento-amianto, que se caracterizam por aquecer-se facilmente a altas temperaturas (60 a 70oC) sob a incidncia da luz solar, e irradiando seu calor na forma de raios infravermelhos para o interior das residncias. A temperatura destas telhas, quando escurecidas pelo tempo, pode ser superior a 70oC, tornando o ambiente interno insuportvel. O desconforto trmico maior ainda nas regies litorneas, devido a maior temperatura e umidade relativa do ar. Tal desconforto tem graves conseqncias para a sade, afetando gravemente a disposio para o trabalho e muito mais ainda para o estudo. Sabe-se tambm que no calor h um aumento da violncia. Muito mais ainda quando dentro de casa a temperatura fica muito acima da adequada para o ser humano. Torna-se quase que impossvel dormir de dia, para as pessoas que trabalham a noite. Muitas escolas so cobertas com estas telhas, o que torna o ambiente muito quente, e totalmente inconveniente para as crianas, desestimulado a freqncia e reduzindo o rendimento escolar. Como agravante, no inverno no protegem os moradores contra o frio, visto que no impedem a sada do calor interno, se existente. As casas de telhas vs deixam muito frio entrar pelo telhado, o que causa um desconforto perigoso para a sade n