Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: O lixo em nmeros
País: Brasil
Fonte: Projeto Apoema
Data: 2/2004
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Quanto Lixo uma Pessoa Produz em Toda a Sua Vida

25 Toneladas de Lixo - do nascimento morte, essa a quantidade de

detritos que cada brasileiro vai produzir durante toda a sua vida

Voc j reparou na quantidade de sujeira que se acumula na lata de lixo da

sua casa nos fins de semana? Pois . De lata cheia em lata cheia, cada

brasileiro que viva at os 70 anos de idade vai produzir 25 toneladas de

detritos. Como a famlia mdia no pas formada por quatro pessoas, cada

lar ir fabricar 100 toneladas de lixo. So nmeros pavorosos, mas pouca

gente d ateno a isso at que o lixo - feito um vulco aparentemente

extinto - d sinais de vida. Foi o que aconteceu em So Paulo, durante as

enchentes de maro de 1999. O lixo foi apontado como o maior responsvel

pela tragdia. A intensidade de chuva que caiu sobre a cidade foi semelhante

a da ltima grande enchente, ocorrida em 1988. Ou seja, no havia mais gua

do que h onze anos. Havia, sim, mais lixo, cuja produo dobrou nesse

perodo. Como ele estava em toda parte, entupiu bueiros, diminuiu a vazo de

gua e ajudou a piorar o caos.

O lixo um indicador curioso de desenvolvimento de uma nao. Quanto mais

pujante for a economia, mais sujeira o pas vai produzir. sinal de que o

pas est crescendo, de que as pessoas esto consumindo mais. Segundo um

levantamento feito pela Associao Brasileira de Empresas de Limpeza Publica

e Resduos Especiais, Abrelpe, o brasileiro passou a produzir muito mais

lixo depois do Plano Real. A cidade de Salvador teve um aumento de 40% na

coleta de detritos. Em So Paulo, o crescimento foi de 13%. Os cariocas

assim como os curitibanos, jogaram 22% mais coisas fora. Por dia, calcula-se

que o brasileiro produza 1 quilo de lixo domiciliar. Ainda estamos longe dos

americanos com seus inacreditveis 3 quilos por pessoa, mas j ultrapassamos

pases da Unio Europia. A questo que as grandes cidades brasileiras no

tm estrutura para encarar esse crescimento e se encontram perto de um

limite. As prefeituras esto sem dinheiro para a coleta e j no h mais

lugar onde jogar lixo.

O problema ganha uma dimenso mais perigosa por causa da mudana no perfil

do lixo. H cinqenta anos, os bebs utilizavam fraldas de pano, que no

eram jogadas fora. Tomavam sopa feita em casa e bebiam leite mantido em

garrafas reutilizveis. Hoje, os bebs usam fraldas descartveis, tomam sopa

em potinhos que so jogados fora e bebem leite embalado em caixas tipo

"tetrapak". Ao final de uma semana de vida, o lixo que eles produzem

equivale, em volume, a quatro vezes o seu tamanho. Na metade do sculo, a

composio do lixo era predominantemente de matria orgnica, de restos de

comida. Com o avano da tecnologia, materiais como plsticos, isopores,

pilhas, baterias de celular e lmpadas so presena cada vez mais constante

na coleta. Em 1986, existia em todo o planeta apenas 1,3 milho de linhas de

celular. Hoje so 135 milhes e daqui a sete anos sero 850 milhes de

linhas. Todas consumindo baterias altamente txicas para a sade pblica

quando jogadas nos lixes. Levando-se em considerao que o Brasil tem 7

milhes de linhas de celular e que 70% do lixo brasileiro jogado a cu

aberto, a contaminao dos lenis freticos localizados abaixo desses

lixes no pra de crescer.

Dar um destino adequado ao lixo um dos grandes desafios da administrao

pblica em todo o mundo. No Japo, onde no h lixes, parte dos detritos

colocada em barcos e enviada para pases vizinhos que cobram pelo servio.

Em Nova York, so aplicadas mu