• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Lixo reciclvel d emprego e financia obras sociais
País: Brasil
Fonte: ABRELPE
Data: 8/2004
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Boa parte do lixo reciclvel coletado pela Prefeitura de Curitiba vira dinheiro para entidades assistenciais. que depois de separado pela Usina de Valorizao de Rejeitos (UVR), localizada em Campo Magro (Regio Metropolitana de Curitiba), os resduos so vendidos e a renda (cerca de R$ 50 mil por ms) revertida para o Instituto Pr-Cidadania.
A UVR recebe mensalmente 350 a 400 toneladas de lixo reciclvel. Como chegam misturados em sacos ou sacolas de plstico, o primeiro passo a seleo desse material. Em uma esteira, os diversos produtos como alumnio, papel, plstico, tecido, espuma, so separados pelos funcionrios. Depois de prensados, o material fica pronto para ser vendido.
O alumnio, obtido, por exemplo, com as latinhas de refrigerante, so vendidos a R$ 3,42 o quilo e as garrafas pet, a R$ 0,80. Segundo o gerente da usina, Alfredo Carlos Holzmann, para formar um quilo so necessrias 66 latinhas de refrigerante ou cerveja. E para juntar um quilo de garrafas pet preciso juntar 61 unidades.
Holzmann ressalta a importncia de, em casa, antes de separar o lixo, limpar o material reciclvel. s lavar, por exemplo, as embalagens tetra pak de suco, leite, as latas de molho de tomate. Outras dicas, para evitar acidentes de trabalho entre os 64 funcionrios da usina, descartar o vidro dentro de caixas ou enrolados em jornal, assim como fechar a ‘‘‘‘boca‘‘‘‘ das latas de alumnio.
Dilma Ferreira Barros Bates, 34 anos, de Campo Largo, trabalha h quatro anos na usina. Na unidade, j considerada expert em plstico e, com facilidade, consegue separ-los por critrio de material e valor. ‘‘‘‘O pet o mais valorizado‘‘‘‘, ensina. A ex-domstica diz que est feliz trabalhando na usina e ganhando R$ 360,00 por ms, mais cesta bsica e vale-transporte.
Nesses 15 anos de usina, muita coisa interessante foi colocada no lixo. Tanto que um museu foi criado no local para expor relgios antigos, fantasias, quadros, mapas, equipamento odontolgico, mquina de costura, fotos, vestido de noiva e at a rplica de uma escultura pertencente ao Museu do Louvre, de Paris.
Como tudo ou quase tudo que chega usina aproveitado, o mobilirio que decora os escritrios veio do lixo. Os livros que chegam s esteiras da UVR so separados e formam, hoje, uma pequena biblioteca utilizada pelos funcionrios e filhos de funcionrios. No acervo h enciclopdias completas. (A.D.C.)