• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: A produo de energia eltrica a partir do lixo
País: Brasil
Fonte: Portal Reciclveis.com.br
Data: 8/2004
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
A produo de energia eltrica era monoplio estatal at bem pouco tempo no Brasil. As recentes mudanas institucionais introduzidas no setor eltrico, com a criao da ANEEL e a instituio do Mercado Atacadista de Energia (MAE) deram origem a um novo modelo.
Na esteira das alteraes normativas, finalmente, a partir de julho de 2000, j permitido a qualquer empresa produzir energia e vend-la, a qualquer consumidor, desde que seja de ao menos 3 MW a potncia instalada correspondente energia comercializada.
O transporte da energia foi tambm alvo de nova regulao, no havendo mais obstculos sua contratao, a qual deve seguir uma tabela de preos j estabelecida.
Com esse novo modelo institucional do setor eltrico, tornou-se possvel a produo de energia eltrica a partir do lixo com o envolvimento da iniciativa privada e passaram a ser viveis parcerias entre empresas e prefeituras.
E muito significativa a contribuio que essa nova forma de se gerar energia pode trazer. De fato, cada 200 ton/dia da frao orgnica dos resduos slidos domiciliares permitem a implantao de uma Usina Termeltrica com a potncia de 3 MW, capaz de atender uma populao de 30 mil habitantes. Isso quer dizer que, se a frao orgnica (60%) de todo o lixo domiciliar brasileiro, que da ordem de 120.000 ton/dia, fosse utilizada para produzir energia eltrica, poderamos implantar Usinas Termeltricas com potncia significativa, cujo valor seria aprecivel.
Para as indstrias, haveria um trplice ganho: poderiam contar com uma fonte adicional e permanente de suprimento de energia, tendo, potencialmente, uma alternativa adicional para a disposio dos resduos no perigosos que geram, alm dos ganhos econmicos decorrentes dessa nova forma de gerao de energia e disposio de resduos.
Para os municpios, a economia seria muito grande. Seus gastos com a implantao e a operao de aterros sanitrios seriam quase inteiramente evitados. Alm disso, seriam reduzidas as distncias percorridas pelos caminhes de coleta, outra forma importante de se economizar e, ao mesmo tempo, melhorar o trfego urbano. E tudo isso, sem a necessidade de investimentos por parte das Prefeituras, uma vez que tudo poderia ser feito atravs de terceirizao, pela concesso dos servios a empresas.
As combalidas finanas dos municpios j no suportam mais a presso que os gastos com a coleta e a disposio de resduos representam: entre 5% e 12 % da arrecadao das prefeituras utilizada para esse fim, montante freqentemente superior sua capacidade de investimento.
Por isso, especialmente auspicioso o fato de que o retorno proporcionado pela explorao do lixo to expressivo que chega a ser suficiente para aguar o interesse do setor privado. Os investimentos ficariam a cargo dos empresrios, os quais poderiam se beneficiar da possibilidade de vender a energia eltrica gerada e adubo de excelente qualidade, alm de poderem cobrar uma taxa pela recepo do lixo - desde que em montante inferior economia que estivessem proporcionando s finanas municipais.
Ademais, as vantagens sociais so inequvocas. Alm da gerao de empregos, crianas e adultos que buscam retirar dos lixes meios para subsistir, trabalhando em condies subumanas, podero passar a integrar cooperativas voltadas para uma atuao organizada e regular em Centrais de Reciclagem Integral de Resduos.
AUTOR: Sabetai Calderoni>>>