• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Lixo eletrnico problema cada vez mais grave
País: Brasil
Fonte: www.setorreciclagem.com.br
Data: 8/2005
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Os avanos tecnolgicos, que obrigam os mais fanticos a conseguir o ltimo modelo de celular, computador ou agenda eletrnica, criaram um problema de enormes dimenses: o que fazer com o lixo gerado pelo setor?

A recente MacWorld, em San Francisco, ilustra bem a situao. Enquanto os inmeros fs da Apple faziam longas filas para adquirir um dos minsculos iPods, grupos de defesa do meio ambiente protestavam nas portas da conferncia para chamar a ateno. Para eles, a ma est podre no que diz respeito reciclagem de seus produtos.

A conferncia da Apple mostrou, mais uma vez, a confluncia de duas realidades opostas no mundo da tecnologia. De um lado, as invenes mais futuristas em constante evoluo e a preos cada vez mais acessveis. Do outro, os materiais txicos presentes nos produtos que no so reciclados e que danificam os trabalhadores que os manipulam e contaminam o meio ambiente.

O grupo Computer TakeBack alega em seu site (www.badapple.biz) que a companhia deveria "fazer algo alm de celebrar seu lucro". Esta uma crtica que poderia extrapolar facilmente para a imensa maioria das empresas do setor. "H uma crise real no que se refere ao lixo eletrnico. Os Estados Unidos ignoram enquanto usamos lixeiras baratas e sujas", diz Jim Puckett, da Basel Action Network, grupo com sede em Seattle.

Esta rede internacional deve seu nome Conveno da Basilia, na Sua, um tratado da ONU de 1989 que tenta limitar o dano causado pelos resduos eletrnicos e que foi assinado por todos os pases desenvolvidos exceto os EUA. O governo americano est h anos tentando desenvolver um plano junto com a indstria. Mas a reciclagem destes produtos cara e as empresas ainda no entraram em acordo sobre como concretiz-la: se transferindo parte do custo aos consumidores ou estabelecendo uma taxa por isto.

Ted Smith, do grupo Toxics Coallition do Vale do Silcio, acha que as autoridades esto ficando muito tmidas. Ele cita como exemplo a Unio Europia, que proibiu que os produtos eletrnicos vendidos a partir do prximo ano contenham determinadas toxinas. Muitos produtos eletrnicos tm vida til muito curta. Em alguns casos, ela extinta quando o aparelho da gerao seguinte chega ao mercado, o que faz com que o volume de lixo eletrnico cresa sem parar.

Uma coalizo de organizaes ambientais publicou em 2002 um estudo devastador indicando que o lixo eletrnico procedente dos EUA reciclado utilizando mtodos primitivos em pases em desenvolvimento, onde causa graves problemas ambientais e de sade. Boa parte das empresas enviam suas sobras para pases como a ndia e a China, onde so desmontados para obter chumbo, ouro e outros metais valiosos. Neste processo, os componentes txicos como o cdmio e o mercrio vo a parar na gua e no ar.

Trs anos depois, a situao se deteriorou. Os EUA descartam anualmente 50 milhes de computadores e 130 milhes de celulares. Se o ritmo for mantido, em 2010 o pas jogar fora 400 milhes de aparelhos, segundo a Associao Internacional de Reciclagem Eletrnica.

Algumas semanas atrs, o website de leiles eBay fez uma parceria com as principais indstrias de informtica e grupos de proteo ambiental para ajudar os consumidores a se desfazerem de seu lixo eletrnico. O programa est concentrado em um site (www.ebay.com/rethink) que oferece aos usurios a opo de vender ou doar os computadores que ainda funcionam. Mas, embora bem intencionado, o plano apenas um paliativo incapaz de resolver o problema.

fonte: Primeira Hora - www.primeirahora.com.br