Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Resduo Hi-tech: bomba-relgio ambiental
País: Brasil
Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=581
Data: 8/2007
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Equipamentos velhos representam problema novo no Brasil, onde a maioria das pessoas ainda no sabe como descart-los com segurana

No ano em que o mundo admitiu que o homem o principal responsvel pelas mudanas climticas e discute solues para frear o aquecimento global, o Brasil insiste em empurrar para baixo do tapete a realizao de um debate amplo e aberto sobre a problemtica que envolve os resduos tecnolgicos, chamados resduos hi-tech. Entre eles esto pilhas e baterias, lmpadas fluorescentes, telefones celulares e equipamentos eletroeletrnicos (computadores, televises, rdios e impressoras etc.).

So toneladas de equipamentos que se tornam obsoletos em pouco tempo e cujo descarte adequado desconhecido por grande parte da populao brasileira. A maioria destes produtos possui em sua composio metais pesados, como chumbo, cdmio e mercrio, entre outros. Se manuseados de maneira inadequada ou dispostos de forma irregular no solo oferecem riscos sade pblica e ao meio ambiente, com perigo de contaminao do ar, do solo e das guas.

O celular do professor de jornalismo Jos de S, da Universidade Metodista de So Paulo, quebrou em abril deste ano. Ele foi a uma loja da Vivo, localizada em um shopping prximo da Avenida Paulista, para comprar um novo equipamento. Preocupado com a questo ambiental, perguntou funcionria da operadora de telefonia onde deveria depositar a bateria do aparelho quebrado. Ela apontou para uma lixeira comum do corredor e disse que ele poderia jogar ali mesmo. "Fiquei indignado com a falta de preparo da vendedora. Ela deveria ser treinada para dar a resposta correta. Isso um descaso, uma irresponsabilidade social", lamenta o professor. Ele estava disposto a manter o celular na gaveta at encontrar uma soluo, mas acabou repassando o equipamento para um conhecido que se comprometeu a consert-lo.

Situaes como esta so comuns em pases que no regulamentam a questo dos resduos slidos de maneira correta. O Brasil discute a criao de uma Poltica Nacional de Resduos Slidos h 15 anos. O ltimo projeto de lei sobre o tema, o PL 203/91, que possua mais de 100 apensos, no Congresso Nacional, foi arquivado no ano passado, depois que uma manobra poltica tentou aprovar um substitutivo com a incluso, no texto, da autorizao para que o Brasil importasse pneus usados. O projeto foi parar na gaveta, de acordo com informaes da assessoria tcnica das Comisses Especiais da Cmara dos Deputados. A ltima tentativa de desarquivar o PL foi feita pelo deputado Sandro Matos (PR/RJ) em abril deste ano, mas foi indeferida.

Pelas normas da Casa, s os autores do projeto podero requerer o desarquivamento. Pelo menos nos prximos trs anos, isso ser difcil. Os deputados que estavam debruados sobre a questo, em sua maioria, no foram reeleitos. o caso, por exemplo, de Luciano Zica, do PT/SP, recm-empossado no cargo de secretrio de Recursos Hdricos e Ambientes Urbanos do Ministrio do Meio Ambiente.

As atividades da Comisso Especial da Poltica Nacional de Resduos Slidos esto paradas no Congresso e no h sinais de que sero retomadas to cedo. Enquanto isso, estados e prefeituras, salvo excees como a de Pernambuco, aguardam as diretrizes nacionais para abordar o tema de REEE - Resduos de Equipamentos Eletro-Eletrnicos - nas suas legislaes especficas. Muitos administradores pblicos no atentaram ainda para esta problemtica.

A Lei 12.300/06, que cria a Poltica Estadual de Resduos Slidos do Estado de So Paulo, foi sancionada em maro do ano passado e est em processo de regulamentao. No texto da lei, os resduos eletroeletrnicos sequer so classificados ou mencionados. De acordo com Srgio Henrique Forini, membro do Frum Estadual Lixo & Cidadania, a regulamentao da lei dever trazer regras claras para o recolhimento, reciclagem e disposio de pilhas e baterias e de lmpadas fluorescentes, aborda