• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Bioplstico pode evitar poluio gerada por garrafas PET
País: Brasil
Fonte: http://www.ecolnews.com.br/bio_plast.htm
Data: 1/2008
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
No Brasil , mais de 3 milhes de toneladas de garrafas PET so despejadas na natureza por ano, o equivalente a 30% da produo total no pas. Alm disso, as garrafas pet demoram mais 200 anos para se decompor, ao passo que plsticos base de materiais biopolmeros se decompem em 132 dias. Conforme projeto em tramitao no Legislativo, o plstico biodegradvel substituir as embalagens PET num prazo de quatro anos.

A informao foi divulgada pelo deputado Giovani Cheirini (PDT), durante o "Seminrio Nacional Bioplstico: uma Alternativa Vivel", que aconteceu no Plenarinho da Assemblia Legislativa. No evento, foram discutidas alternativas para a substituio da produo de plstico base de petrleo por materiais base de vegetais como cana-de-acar, mamona ou milho. O deputado Giovani Cheirini o autor do projeto de lei que probe a utilizao de embalagens base de polietileno e polipropileno. "A preservao ambiental exige a procura de produtos que no aumentem a degradao do planeta", justificou.

Participaram do evento o diretor geral da PHB Industrial, Sylvio Ortega, a pesquisadora e professora da Faculdade de Farmcia da UFRGS, Silvia Guterres, a pesquisadora e professora da Faculdade de Qumica e do Programa de Ps-Graduao em Engenharia e Tecnologia de Matrias da PUC, Sandra Einloft, o coordenador do Projeto Mamona, Wilson Machado, o consultor e extensionista do Projeto Mamona, Gesner Oyarzbal, o Secretrio de Cincias e Tecnologia do Estado, Kalil Sehbe Neto, e o deputado Paulo Azeredo (PDT).

O deputado Paulo Azeredo, que trabalhou por 13 anos em uma petroqumica, reconheceu a importncia da utilizao do bioplstico, mas ressaltou temer que a substituio do plstico base de petrleo por esta matria-prima possa atrapalhar o desenvolvimento do setor e gerar desemprego. Cheirini enfatizou que preocupao de Azeredo tem que ser levada em considerao durante todo o debate sobre o tema. Em seguida, os convidados iniciaram suas exposies.

O diretor geral da PHB Industrial, Sylvio Ortega, falou sobre a produo vivel de biopolmeros no Brasil. Segundo ele, a PHB Industrial implementar a planta piloto a partir de 2007. Ortega tambm salientou que na Europa, empresas automobilsticas como a Toyota e a Mercedez Benz j esto utilizando peas constitudas por materiais biopolmeros.

A pesquisadora e professora da Faculdade de Farmcia da UFRGS, Silvia Guterres, falou sobre o uso dos polmeros no setor farnacutico e em cosmticos. Guterres afirmou que cerca de 90% dos comprimidos produzidos atualmente so constitudos por celulose, que um produto biopolmero. Ela tambm afirmou que os remdios a base de biopolmeros poderiam ser usados em quantidades menores em relao ao que ocorre hoje. Por exemplo, as mulheres tomariam apenas uma plula anticoncepcional para abranger um determinado perodo de tempo, no todos os dias.

J a pesquisadora e professora da Faculdade de Qumica e do Programa de Ps-Graduao em Engenharia e Tecnologia de Matrias da PUC, Sandra Einloft, discorreu sobre a reciclagem qumica de embalagens PET. Segundo ela, alm da reciclagem e da biodegradao, um mtodo que vem sendo colocado em prtica na Europa a incinerao. Sandra Einloft ainda destacou que a produo mundial de pets de cerca de 26 milhes de toneladas ao ano; que suas fibras so utilizadas mais que o nylon na confeco de roupas; e que alguns componentes das embalagens PET so aproveitados na fabricao de tintas.

Depois, foi a vez de Gesner Oyarzbal e Wilson Machado discorrer sobre a aplicao de bioderivados da mamona, o "petrleo verde". Oyarzbal ressaltou que mais de 650 produtos derivam da mamona e que o Rio Grande do Sul o maior produtor do Brasil, pois aqui no estado se colhe 2.700 kilos de mamona por hectare. Wilson Machado lembrou que o aproveitamento industrial de derivados do produto enorme, sendo usados n