• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Reciclagem transforma produtos em biodiesel e at em jias
País: Brasil
Fonte: http://www.reciclaveis.com.br/noticias/00805/0080513produtos.htm
Data: 6/2008
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
medida que a reciclagem de materiais como o papel e o vidro vai se tornando um hbito para os moradores dos grandes centros, cresce a necessidade de reaproveitamento de outros produtos. "Cerca de 90% do lixo descartado reutilizvel", afirma Paulo Correia, diretor da ONG Instituto Tringulo, especializada na reciclagem de leo de cozinha.

Assim como acontece com as latas de alumnio, a reciclagem do leo usado est se tornando um exemplo de como o reaproveitamento de matria-prima pode ser duplamente benfico. Alguns condomnios, por exemplo, vendem o leo usado e, com a renda obtida, pagam as despesas de manuteno dos prdios. Outros entregam o material a usinas de reciclagem e recebem de volta o sabo produzido a partir dele.

De qualquer forma, a reciclagem, alm de fazer bem para o ambiente, melhor ainda para a sociedade, que ganha oportunidades de negcios e empregos e ainda gera incluso social.

Conhea outros materiais que so problema hoje, mas que, no futuro, podem se tornar uma soluo.

Isopor

A bandejinha do frango, o protetor de eletrodomsticos e a maquete de um trabalho de colgio podem no parecer, mas so bastante nocivos ao ambiente. Tambm conhecido como poliestireno estendido (ou EPS), o isopor , na realidade, um tipo de plstico que leva 150 anos para se decompor. No Brasil, so consumidas anualmente 36,5 mil toneladas do material.

Segundo o Instituto Akatu, poucas empresas o coletam, pois necessria uma grande quantidade do material para que a reciclagem se torne economicamente vivel. Composto por 98% de ar e 2% de plstico, apenas 10% do material inicialmente coletado utilizado depois de derretido. Para dificultar ainda mais, o isopor bastante volumoso, o que encarece o transporte usado na coleta.

Mas, uma vez reciclado, o EPS torna-se bastante til, principalmente na construo civil. Misturado ao cimento, ele oferece vrias vantagens em relao cermica e ao concreto comum. Chamado de cimento isopor, ele mais leve e, como no orgnico, no serve de alimento a nenhum ser vivo, como formigas ou cupins.

A partir da mesma matria-prima, foi desenvolvido no Brasil o "termobloco", base de isopor 100% reciclado. Por dispor das mesmas propriedades do isopor, ele ainda serve como isolante acstico e trmico, reduzindo o gasto de energia com aquecedores e ares-condicionados.

Recicle

Em So Paulo, o material pode ser entregue aos caminhes que fazem a coleta seletiva para a prefeitura ou nos "Ecopontos" espalhados pela cidade. Mais informaes no telefone 156 ou no site da Limpurb: www.limpurb.sp.gov.br.

leo de cozinha

Vilo das dietas, o leo usado no preparo de algumas das delcias da cozinha brasileira se tornou tambm um dos principais poluentes da pouca gua que h hoje disponvel para consumo no mundo.

Quando jogado diretamente no ralo da pia ou no vaso sanitrio, ele diminui a vida til dos encanamentos e traz conseqncias desagradveis como entupimento de canos e refluxo de esgoto. Segundo dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Bsico do Estado de So Paulo), cada litro de leo de cozinha pode contaminar 20 mil litros de gua.

E o estrago no pra por a. Quando o esgoto no tratado, o leo despejado em rios e mares e prejudica a sobrevivncia de peixes e algas. O leo pode tambm chegar ao solo e impermeabiliz-lo, colaborando para aumentar um problema que o paulistano conhece bem: as enchentes.

Mesmo quando o esgoto tratado, o leo no bem-vindo, pois encarece o processo. Deposit-lo em um aterro sanitrio ou em um lixo tampouco a soluo, j que, quando se decompe, o leo libera gs metano e colabora para o efeito estufa.

Ainda segundo a Sabesp, estima-se que cada famlia produza mensalmente um litro e meio de leo de cozinha, que pode se transformar em sabo e em biodiesel. Quem no quiser faz