Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Concreto verde
País: Brasil
Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=665
Data: 6/2008
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Resduos agrcolas podem diminuir o uso de cimento e reduzir a emisso de CO2

As cinzas do bagao de cana, da casca de arroz e os resduos da indstria cermica so candidatos para entrar na preparao do concreto e diminuir a presena do cimento na elaborao desse produto. A reduo do uso e a conseqente limitao de sua industrializao so um fator importante para o ambiente porque, alm de aproveitar esses materiais que muitas vezes so de difcil descarte e reutilizao, contribuem para diminuir a emisso de dixido de carbono (CO2) na atmosfera. A indstria cimenteira responsvel por 7% das emisses de CO2 no mundo. Segundo dados utilizados pelo Painel Intergovernamental de Mudanas Climticas (IPCC, na sigla em ingls), para cada tonelada (t) de cimento produzido sobra para a atmosfera 1 t de CO2.

No Brasil esse dado corresponde a 0,67 t porque parte da matria-prima usada no pas para produo de cimento obtida com o aproveitamento da escria (argila separada do material ferroso) de alto-forno das siderrgicas, e a matriz energtica, ou a energia eltrica gasta no processo, renovvel, de hidreltricas, explica o professor Romildo Toledo Filho, da Coordenao dos Programas de Ps-graduao de Engenharias (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), coordenador da equipe que desenvolveu estudos para a incorporao dos resduos ao cimento. Em 2007 foram produzidos 44 milhes de t de cimento no Brasil que resultaram em 29,4 milhes de t de CO2. Toledo calcula que com a incorporao dos resduos ser possvel reduzir a emisso brasileira em quase 6 milhes de t ao substituir 20% da produo de cimento.

Os dados levantados pelo grupo da Coppe indicam a existncia de cerca de 10 milhes de t de resduos disponveis para a utilizao pela indstria cimenteira. Cerca de 1,5 a 2 milhes so de cinzas da queima do bagao de cana que sobram de caldeiras e geradores para a produo de energia eltrica para abastecimento das prprias usinas. As cinzas do bagao so ricas em slica amorfa, diferente da forma cristalina encontrada, por exemplo, na areia. Na forma amorfa, ela pode reagir, em temperatura ambiente, com o hidrxido de clcio, um dos produtos de hidratao do cimento. Essa mesma estrutura encontrada na casca de arroz calcinada. De cada 1 t de arroz colhido sobram 200 quilos de casca. No Brasil, a produo atingiu 11 milhes de t de arroz na safra 2006-2007, portanto produziram-se 2,2 milhes de t de casca. Tanto a cinza do bagao de cana como a da casca do arroz precisam, para integrar o concreto, passar por um processo de micronizao quando o material reduzido a partculas bem menores.

A indstria brasileira de cermica produz cerca de 5 a 6 milhes de t de resduos na produo de telhas, tijolos e pisos. Esse material, depois de calcinado e modo, pode substituir at 20% do total de cimento. Um estudo especfico sobre o aproveitamento dos resduos dessa ndstria foi realizado pelo grupo da Coppe e apresentado na edio de setembro de 2007 da revista cientfica Cement and Concrete Research. Outro produto no aproveitvel que se apresenta como alternativa, mas atinge um ndice menor de substituio do cimento, de 5% a 10%, so as cinzas resultantes do lodo sanitrio queimado obtidas das estaes de tratamento de lixo slido urbano.

O concreto de desenvolvimento sustentvel fruto das preocupaes mostradas tanto no IPCC como nos mecanismos de desenvolvimento limpo apresentados no Protocolo de Kyoto e aparece num momento em que cresce o consumo de cimento no mundo, principalmente na China, que utiliza 43% do cimento mundial. Clculos de pesquisadores da rea, baseados no crescimento dos grandes pases emergentes, indicam que, se o consumo de cimento de 2,5 bilhes de t por ano, ele saltar para 6,5 bilhes de t em 50 anos, porque , e continuar sendo, o material mais usado do mundo em infra-estrutura, diz Toledo.

Elemen