Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Dissertando sobre o lixo urbano
País: Brasil
Fonte: http://noticias.ambientebrasil.com.br/noticia/?id=29337
Data: 3/2009
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Maral Rogrio Rizzo (*) Antes de dissertar sobre o lixo urbano, achei necessrio escrever brevemente sobre as cidades. Na atualidade, quase impossvel imaginarmos o mundo sem discutir a sustentabilidade urbana e pensando nisso logo surgem perguntas na cabea: Como criar melhores condies de vida nas cidades? Como vivermos em um ambiente saudvel nesses aglomerados urbanos? A busca por essas respostas complexa, at mesmo em virtude da populao das cidades ter aumentado de forma exagerada. A ocupao do espao urbano tem sido feita desordenadamente e isso tem causado srios problemas para a sociedade e em especial para o meio ambiente. No caso do Brasil, nas ltimas dcadas tivemos um crescimento urbano exagerado. Em 1945, a populao que vivia nas cidades brasileiras correspondia a 25% da populao total. J em 2000, a populao urbana passou a representar 82% dos 169 milhes de habitantes. O xodo rural foi e continua sendo a principal causa pelo inchao urbano. O setor pblico no tem dado conta de atender prontamente as necessidades dos moradores das cidades. Muitas vezes a ausncia do bom senso por parte dos polticos e bajuladores vem tona. O meio ambiente urbano no tratado como merece. Um dos principais problemas que ameaa a sustentabilidade urbana so os resduos slidos, popularmente conhecidos como lixo. A palavra lixo derivada do latim e a literatura apresenta duas verses: a primeira vem da lixius que significa gua ou objeto sujo e a segunda vem do termo lix que significa "cinza". Alm de gerar uma imagem ruim, um cheiro desagradvel, trazer inmeras doenas e ser um passivo ambiental para as futuras geraes, dois aspectos relacionados ao lixo preocupam os estudiosos de planto. O primeiro deles o aumento acentuado no volume de lixo produzido. O texto Lixo: conseqncias, desafios e solues de autoria de Geila Santos Carvalho afirma que o volume de lixo produzido no mundo nos ltimos 30 anos foi trs vezes maior que o aumento populacional. Isso vem ocorrendo em virtude da mudana nos padres de consumo e de produo, pois hoje buscam agregar valor em produtos atravs das embalagens e a parte da sociedade tem atingido altos padres de consumo, que na maioria das vezes desperdiado. Vrios produtos tem tido uma vida til muito curta ou descartvel e isso obriga a troca por novos produtos. Outro ponto que merece destaque nesse artigo que a maior parte do lixo produzido tem sido disposto de forma inadequada, a cu aberto sobre o solo e h casos que vem contaminando as guas dos rios, crregos e at mesmo o lenol fretico. Diante da apresentao do problema qual seria uma soluo vivel em curto prazo j que o planeta Terra tem pressa? Inicialmente temos que pensar na educao. A sociedade tem que estar educada e sensibilizada para o problema do lixo. A coleta seletiva deveria ser uma regra e no uma exceo nos municpios, pois isso viabilizaria a reciclagem, ou seja, a reutilizao de materiais. Lembramos que o impulso para reciclagem advm de dois processos: a gerao de renda e o amadurecimento de uma conscincia ambiental. Existe um inegvel trabalho realizado hoje no Brasil pelos catadores de materiais reciclveis. Apesar do pequeno nmero de prefeituras que declaram que tm programas de coleta seletiva de lixo, eles esto presentes em todos os municpios buscando no lixo uma fonte de receita para a sobrevivncia. Hoje necessrio fazer do lixo um meio de gerar renda e empregos. A Revista da Indstria, publicada pela FIESP no ms de julho de 2005, traz alguns nmeros interessantes sobre a reciclagem, afirmando que o aproveitamento de resduos j alto em alguns setores como, 97% em alumnio, 77,3% em papelo ondulado e 40% em PET. O economista Sebetai Calderoni, em seu livro Os bilhes perdidos no lixo, afirma que o Brasil perde anualmente 5,8 bilhes de reais, porque deixa de reciclar o seu lixo urbano, deixando claro que nosso lixo vale muito e pode ser uma alternativa de renda para muitas pessoas que se encontram desempregadas e at mesmo excludas do meio social. Devo lembrar da compostagem da matria orgnica existente no lixo que pode se tornar um timo adubo orgnico, mas sobre esse tema comentarei em futura oportunidade. Em outro artigo que escrevi sobre o assunto lembrei da ligao do lixo com a gerao de energia. Estudos mostram que a matria orgnica quando se decompe, produz o gs metano (CH4) que um gs poderosssimo de efeito estufa, pois 21 vezes mais quente que o CO2. Esse gs metano solto na natureza pode causar mudanas climticas. Infelizmente o Brasil um grande produtor de gs metano. Das 180 mil toneladas produzidas por dia, 31% abandonado a cu aberto. Entretanto, o Ministrio de Meio Ambiente fez uma pesquisa analisando o lixo e os aterros de 91 cidades brasileiras onde constatou que o potencial energtico a partir do gs metano produzido por esses 91 aterros o suficiente para atender a 6,5 milhes de pessoas. No Brasil a falta de vontade poltica para solucionar o problema do lixo prevalece. Na maioria das cidades, no h estimulo para a coleta seletiva por parte do poder pblico. H pontos na legislao tributria que devem ser mudados para estimular a criao de novos negcios e novas empresas na rea de reciclagem de produtos. Precisamos incentivar a mudana nos percentuais de cobrana do ICMS para empresas dessa rea, sem contar com as leis de atrao de novos empreendimentos empresariais, especialmente das empresas que atuam junto reciclagem. Finalmente, alm dos ganhos econmicos que destaquei neste artigo, temos os ganhos ambientais que so imensurveis. * economista, professor universitrio, mestre em Desenvolvimento Econmico pelo Instituto de Economia da Unicamp e doutorando em Dinmica e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Jlio de Mesquita Filho (UNESP de Presidente Prudente - SP). marcalprofessor@yahoo.com.br