Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Reciclagem de plstico: saiba como funciona
País: Brasil
Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org.br/noticias/reciclagem-de-plastico-saiba-como-funciona
Data: 7/2009
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Por mais que se discuta, a verdade que j no podemos viver sem o plstico. Seja na sacola do supermercado, nas garrafas de bebidas, nos filmes para fraldas descartveis ou na bolsa para soro medicinal, o plstico est em todos os lugares. Mas apesar das suas vantagens, ele tambm traz srios riscos para o planeta. A reciclagem uma possvel soluo para o problema, mas como ela funciona? O plstico Para incio de conversa, bom sabermos exatamente o que o plstico. Uma definio do portal Reciclagem.net diz que plsticos so artefatos fabricados a partir de resinas (polmeros), geralmente sintticas e derivadas do petrleo. A fabricao ocorre quando grandes cadeias moleculares (os tais polmeros), que, por sua vez, so formadas por molculas menores (monmeros), so unidos em um processo chamado polimerizao. Apesar de encontrarmos na natureza polmeros naturais, como em algodo, madeira, cabelos, chifre de boi e ltex, a fabricao do plstico exige a utilizao de polmeros sintticos, extrados do petrleo por meio de uma srie de reaes qumicas. Existem dois tipos de polmeros: os termoplsticos e os termofixos. Os primeiros so os plsticos que no sofreram alteraes em sua estrutura qumica durante o aquecimento e que podem ser reprocessados vrias vezes pelo mesmo ou por outro processo de transformao. J os termofixos so plsticos que, aps moldados, no podem ser fundidos e remoldados novamente, portanto no so reciclveis. Os termoplsticos podem ser de diversos modelos, como Polietileno de Baixa Densidade (PEBD); Polietileno de Alta Densidade (PEAD); Policloreto de Vinila (PVC); Poliestireno (PS); Polipropileno (PP); Politereftalato de Etileno (PET); Poliamidas (nilon) e muitos outros. J os termofixos podem ser baquelite, Poliuretanos (PU) e Poliacetato de Etileno Vinil (EVA), polisteres, resinas fenlicas, etc. Todos os plsticos possuem algumas caractersticas fsicas e de degradao trmica diferentes, que contam na hora da reciclagem. Por conta disso, eles foram separados em categorias e identificados por nmeros. Reciclagem Todas essas substncias, quando depositadas em lixes e aterros, podem dificultar a decomposio dos materiais biologicamente degradveis, impermeabilizar o solo e, quando queimados indevidamente e sem controle, liberar substncias nocivas ao homem e ao meio ambiente, como cido clordrico e dioxinas. Alm de evitar esses problemas, a reciclagem do plstico traz outros benefcios, como aumento da vida til dos aterros, gerao empregos e renda e economia de energia. Existem trs tipos de reciclagem do plstico: Reciclagem primria ou pr-consumo. feita com os materiais termoplsticos provenientes de resduos industriais, que so limpos e fceis de identificar. Tecnologias convencionais de processamento transformam esses resduos em produtos com caractersticas de desempenho equivalentes s daqueles fabricados a partir de resinas virgens. Reciclagem secundria ou ps-consumo. Acontece com os resduos plsticos recolhidos em lixes, sistemas de coleta seletiva, sucatas, etc. feita com os mais diversos tipos de materiais e resinas que so separados e passam por um processo ou por uma combinao de operaes para serem transformados em outros produtos. Reciclagem terciria. a converso de resduos plsticos em produtos qumicos e combustvei, por processos termoqumicos. Esses plsticos so convertidos em matrias-primas que podem originar novamente as resinas virgens ou outras substncias interessantes para a indstria, como gases e leos combustveis. Para se reciclar o plstico, preciso separar, moer e lavar o material, secar com batedores e sopradores (que faro uma secagem parcial) e depois com aglutinadores (que faro a secagem definitiva). Depois esse material ser fundido, resfriado, granulado e transformado, enfim, em matria-prima. Essa nova substncia poder ser utilizada na fabricao de inmeros produtos, como garrafas, frascos, baldes, cabides, pentes, madeira-plstica, cerdas, vassouras, sacolas, filmes, painis para a construo civil e outra infinidade de opes. Fazendo a sua parte Ns, consumidores, podemos ajudar separando os plsticos reciclveis dos no-reciclveis. Os plsticos reciclveis so: garrafas, tampas, embalagens de higiene e limpeza, garrafas PET, CD e DVD, tubos vazios de creme dental, utenslios plsticos, como canetas e escovas de dente, potes de todos os tipos, sacos de supermercado, embalagens para alimentos, vasilhas, recipientes e tubulaes. Os no reciclveis so: fraudas descartveis, adesivos e embalagens com lminas metalizadas, como bombons, biscoitos e outros produtos alimentcios, cabos de panela, botes de rdio, pratos, canetas, bijuterias, espuma e embalagens a vcuo.