• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Uso agrcola de composto de lixo urbano: benefcio ou prejuzo?
País: Brasil
Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=1922&op=all
Data: 5/2010
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Por Por Adriana M. M. Pires * A parcela urbana da populao brasileira cresceu de 36% para 75% entre as dcadas de 50 e 90. A urbanizao ocorreu de maneira desorganizada, e regras de proteco ao meio ambiente e ao cidado no foram respeitadas. Com isso, as cidades formaram-se sem infra-estrutura e disponibilidade de servios urbanos capazes de comportar a populao. Portanto, os grandes centros urbanos concentram tambm os maiores problemas ambientais, cuja complexidade exige tratamento especial e interdisciplinar. A degradao do meio ambiente no um problema exclusivamente brasileiro, vrios pases passaram por problemas semelhantes e buscaram solues que garantiram a qualidade de vida dos cidados sem prejudicar o desenvolvimento econmico. O Brasil comea a despertar para a necessidade de conservao do meio ambiente, implementando instrumentos legais para resolv-los e incentivando actividades que resultem em ganhos ambientais. A Embrapa, cuja misso viabilizar solues para o desenvolvimento sustentvel do espao rural, com foco no agronegcio, por meio da gerao, adaptao e transferncia de conhecimentos e tecnologias, em benefcio dos diversos segmentos da sociedade brasileira tem participado altivamente desse processo, utilizando seus recursos humanos e conhecimentos para subsidiar e promover polticas pblicas relacionadas conservao do meio ambiente e agricultura brasileira. * Pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente adriana@cnpma.embrapa.br A gesto de resduos slidos urbanos ainda bastante precria no Pas. O documento Cidades Sustentveis da Agenda 21 Brasileira cita que em 1989, o servio de colecta de lixo estava disponvel para 78,4% da populao urbana, sendo que o uso agrcola representava 3% do volume de lixo colectado no pas; as usinas municipais de reciclagem faziam a triagem de 2,2% do colectado; a incinerao era de apenas 0,2% do total, ocorrendo apenas em alguns estados. Do total dos resduos slidos colectados, apenas 28% tinham destinao adequada. Os 72% restantes eram dispostos em lixes a cu aberto ou jogados em vales e rios. Em 1993, estimou-se que do total de lixo produzido no Pas, 59% era disposto em lixes a cu aberto (simples descarga sobre o solo), 13% em aterros controlados (superfcie do resduo coberta com material inerte), 25% em aterros sanitrios (alm da cobertura do resduo com material inerte, apresenta impermeabilizao da base e sistemas de tratamento de chorume e gases), 1% era lanado directamente em mananciais e 2% eram usados na agricultura ou incinerados. Esse quadro representa grande risco em termos de garantia da conservao do meio ambiente e manuteno da sade pblica, podendo resultar em (i) contaminao da populao por patgenos humanos, (ii) acmulo de metais pesados e compostos orgnicos persistentes no solo, (iii) entrada desses contaminantes na cadeia alimentar e (iv) lixiviao e consequente contaminao do lenol fretico e mananciais por nitrato e metais pesados. Portanto, a problemtica da disposio dos resduos slidos urbanos no preocupante apenas sob o ponto de vista ambiental, mas tambm social e econmico. Segundo a Agenda 21 Global, cerca de 5,2 milhes de pessoas, entre elas 4 milhes de crianas menores de cinco anos, morrem a cada ano devido a enfermidades relacionadas com o lixo. Os resultados para a sade so especialmente graves no caso da populao urbana pobre. Uma das solues apontadas pela Agenda o incentivo s polticas de gerenciamento de resduos slidos, com nfase em colecta selectiva e na compostagem, que o processo de obteno do Composto de Lixo Urbano - CLU. Consequentemente, a Agenda promove a reciclagem de matria orgnica e nutrientes, por meio da utilizao do CLU em solos agrcolas, mediante a garantia de no gerar impactos negativos ao meio ambiente e sade pblica. Nesse contexto, a utilizao agrcola do CLU representa uma alternativa de disposio muito interessante, pois utiliza o solo como um meio favorvel ao consumo da carga orgnica potencialmente poluidora, apresenta os menores custos, pode trazer os benefcios inerentes incorporao de matria orgnica ao solo, promove a reciclagem de nutrientes, alm de reduzir o risco de contaminao com patgenos humanos. A eficcia da utilizao de CLU como fertilizante orgnico conhecida e as caractersticas desejveis dessas para que se tenha boa eficincia agronmica j foram estudadas e determinadas. Por outro lado, ser que os problemas de contaminao que ocorrem quando a disposio do lixo feita de forma inadequada tambm no ocorrero quando o lixo compostado aplicado aos solos agrcolas? Os riscos devido ao uso agrcola do CLU esto relacionados, principalmente, com compostos de lixo cuja matria-prima de m qualidade e aos processos de compostagem mal conduzidos. Nesse sentido, uma ateno especial deve ser dada caso a colecta de lixo no seja selectiva, pois os inorgnicos ou inertes (pedaos de vidros, plsticos, metais ferrosos, borracha, entre outros) devem ser devidamente separados, evitando-se a sua entrada como matria-prima do composto orgnico. Os inertes so conhecidas fontes de metais pesados, geralmente apresentam baixa degradabilidade e diminuem a operacionalidade do uso agrcola do CLU. Em muitas usinas, essa separao feita por meio de captao manual e/ou peneirao, sendo muito precria. Como resultado, pode-se obter um composto de baixa qualidade, existindo relatos de que ao manusear o composto alguns produtores chegaram a cortar a mo, tal a quantidade de vidro modo presente no resduo. Outro problema so os metais pesados, que uma vez adicionados ao solo, podem entrar na cadeia alimentar ou acumular-se no prprio solo, no ar, nas guas superficiais, nos sedimentos e nas guas subterrneas, alm de poderem apresentar efeitos fitotxicos. A concentrao de metais pesados nos compostos de lixo pode ser varivel em funo do material de origem. Por exemplo, lixos que contenham lmpadas, pilhas e baterias tendem a apresentar elevados teores de metais pesados. Um dos problemas mais srios, uma vez que o CLU geralmente utilizado no cultivo de hortalias, a presena de patgenos humanos no composto. Se o processo de compostagem for mal conduzido e/ou forem utilizados lixos oriundos de colecta no-selectiva ou de uma separao ineficiente da fraco orgnica nas usinas, o composto obtido pode apresentar qualidade inadequada para a aplicao aos solos agrcolas. Um processo de compostagem bem conduzido pode reduzir a concentrao de patgenos do CLU a nveis seguros, devido competio entre as espcies microbianas, a fautores antibiticos e, principalmente, manuteno de alta temperatura por determinado tempo. Portanto, para garantir um uso adequado do CLU na agricultura, recomendvel realizar o monitoramento da qualidade do composto, que reflecte a qualidade da matria-prima e do processo de compostagem utilizados. Nesse sentido, a regulamentao da aplicao de CLU ao solo, por meio do estabelecimento de padres de qualidade do composto fundamental para evitar danos ao ambiente. Diversos pases, como Alemanha, Frana, Austrlia, Holanda, Canad, entre outros, possuem normas tcnicas especficas regulamentando a qualidade do produto, bem como a aplicao do resduo de maneira adequada. No Brasil, existem regulamentaes para licenciamento de usinas de compostagem como, por exemplo, o Decreto N 47.400, de 4 de Dezembro de 2002 do Estado de So Paulo que regulamenta dispositivos da Lei Estadual n 9.509, de 20 de Maro de 1997. Com abrangncia nacional, pode-se destacar a Instruo Normativa N15, de 24 Dezembro de 2004 do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento (MAPA) em resposta ao Decreto n0 4954, que indica normas para o registro de fertilizantes orgnicos, inclusive composto de lixo. Outra Instruo Normativa do MAPA, que definir os limites de contaminantes que podem ser adicionados via composto de lixo, dever ser publicada em 2006. Alm disso, esforos tm sido direccionados para a elaborao de uma norma brasileira, especfica para o uso agrcola de composto de lixo. Dessa maneira, espera-se melhorar a qualidade dos compostos de lixo utilizados no Brasil, resguardando o nosso ambiente e promovendo a reciclagem. Visto o exposto, pode-se concluir que o limiar entre benfico e prejudicial no que diz respeito ao uso agrcola de composto de lixo urbano est relacionado com a qualidade do composto produzido e a maneira como utilizado. A natureza encarrega-se de reciclar aquilo que produziu e no foi consumido. Cabe a ns, que constantemente estamos a alterar os ciclos naturais, facilitar e garantir a continuidade desse processo, definindo qual ser o ambiente que deixaremos para as prximas geraes.