Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:







Curiosidades


Assunto: Reciclagem de cigarro
País: Brasil
Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=553
Data: 7/2010
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
Muito se fala em reciclagem, mas esse artigo aborda tambm a reduo. Em uma comparao, um motor de carro polui 10 vezes menos que a fumaa do cigarro. Ao menos o carro tem utilidade, ao passo no existem benefcios no uso do cigarro Aluno de Biologia da UnB cria tcnica para reciclar bitucas O estudante de Biologia da Universidade de Braslia (UnB) Marco Antnio Barbosa Duarte desenvolve projeto de reaproveitamento da ponta de cigarro fumado. Sob a orientao da professora do Instituto de Artes (Ida) da UnB Thrse Hofmann e de Paulo Suarez, professor do Departamento de Qumica, Marco Antnio faz da bituca matria-prima para produzir papel. A idia de fazer papel reciclado com esse tipo de material surgiu por acaso. Marco Antnio trouxe para a sala de aula um saco cheio de pontas de cigarro e perguntou professora se era possvel transformar aquele monte de lixo em papel. "Resolvemos testar e deu certo", lembra Thrse. J se utilizavam os resduos das fbricas de filtro de cigarro, ou seja, filtros "limpos", em outros tipos de pesquisa. A Embrapa de Pernambuco, por exemplo, recebe sobras da Filtrona Brasileira Indstria e Comrcio, para testar o uso do material na absoro e reteno de gua em solos secos. A empresa tem o ISO 14.002 e, portanto, assegura que todo material gasto na produo de alguma forma reutilizado. Reaproveitar o filtro depois de consumido, contudo, novidade. "Aproveitamos toda a bituca: o filtro e o tabaco fornecem as fibras que do origem ao papel e as cinzas podem servir de base no processo", explica o estudante, que tambm no despreza as sobras da indstria para confeccionar mais papel. Ele recebeu milhares de filtros no aproveitados para dar continuidade a seus estudos. Segundo a professora Thrse Hofmann, o rendimento de quase 100%. "Se, por exemplo, uma bituca pesa 0,4 gramas, ela resultar em cerca de 0,4 gramas de papel reciclado", diz ela. Para obter o material, o processo a reciclagem comum: as pontas e os filtros so separados do papel e misturados em gua, soda custica e gua oxigenada e cozidos. A pasta resultante colocada para secar, quando se forma o papel. A professora Thrse Hofmann e Marco Antnio apresentaram o trabalho como inovao tecnolgica no Congresso Nacional de Celulose e Papel, realizado em outubro de 2003, em So Paulo. O objetivo final do projeto verificar qual a melhor utilidade que o papel reciclado pode ter. J se sabe, por exemplo, que possvel obter papel nobre, utilizvel para escrita e impresso. A patente do processo foi depositada no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Professora Thrse Hofmann, coordenadora do Laboratrio de Materiais Expressivos, pelo telefone (61) 3307 2317. fonte: Universidade de Braslia - www.unb.br Poluio do cigarro A fumaa de cigarros produz dez vezes mais partculas de poluio do que o escapamento dos modelos novos - e ambientalmente mais corretos - de motor a diesel, afirmam cientistas da Itlia e da Frana. "As pessoas no tm uma idia do nvel de poluio produzido pelo fumo dentro de casa", disse o italiano Giovanni Invernizzi, da Unidade de Controle do Tabaco do Instituto Nacional do Cncer em Milo. Partculas microscpicas resultantes de combusto so recobertas por molculas que podem causar cncer. Outros produtos qumicos presentes nessas partculas podem levar ao desenvolvimento de bronquite e doenas cardacas. Essas partculas so de tamanhos variados (de 0,1 a 10 milsimos de milmetro), mas todas elas vo parar nos pulmes depois de inaladas. As menores podem entrar na corrente sangnea. "Partculas menores que 0,1 micrmetro (milsimo de milmetro) podem chegar ao crebro e a outros rgos, causando infarto e derrames", diz Invernizzi. Fumaa nas montanhas Os pesquisadores mediram a quantidade de partculas emitidas durante uma hora por trs cigarros dentro de um quarto, e a compararam com o nmero de partculas emitidas no mesmo intervalo e no mesmo ambiente por um veculo equipado com um motor a diesel moderno. O estudo foi feito nas montanhas da Itlia, na cidade de Chiavenna, onde h pouca contaminao por poluentes. Os cigarros emitiram partculas em concentraes at dez vezes maiores que o motor. O nvel total de particulados foi de 88 microgramas por metro cbico para o carro e 830 microgramas por metro cbico para os cigarros. Os pesquisadores tambm compararam o tamanho das partculas. Descobriram que os cigarros produziram 15 vezes mais partculas grandes que o carro. Os autores do estudo, publicado no peridico mdico "Tobacco Control", se disseram surpresos com o resultado. Invernizzi avisa que quartos com janelas fechadas so um problema. "A gente deve ser cuidadoso com o fumo passivo, porque as partculas podem ficar [suspensas] no quarto por muito tempo" diz o italiano. No h ainda estudos com motores a diesel mais antigos - como os que movimentam vrios caminhes e nibus no Brasil - dizem os autores. Mas eles dizem que esses motores geralmente produzem cem vezes mais partculas que os modelos novos, ganhando, portanto, dos cigarros. No entanto, os novos motores esto cada vez mais em uso, devido ao endurecimento de normas ambientais, especialmente na Europa. De acordo com os pesquisadores, isso far com que os cigarros se tornem uma fonte mais significativa de poluio. Segundo a Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), que mede a poluio na regio metropolitana de So Paulo, a mdia diria de material particulado jogado no ar por veculos de 150 microgramas por metro cbico --menos da metade do ndice obtido na experincia realizada em Chiavenna. O pneumologista Chin An Lin, pesquisador do Laboratrio de Poluio Atmosfrica Experimental da Escola de Medicina da USP (Universidade de So Paulo), lembra que, na cidade, costuma-se observar uma equivalncia de 70% no ndice de poluio atmosfrica em ambientes externos e internos. Dentro de uma tpica casa paulistana, h cerca de 105 microgramas por metro cbico --para a Cetesb, valor inserido na faixa "regular" de qualidade do ar. Segundo Lin, estudos anteriores mostram que os poluentes inspirados ao ar livre nas metrpoles correspondem a fumar dois ou trs cigarros por dia. "Ao colocar um fumante passivo dentro de uma sala, ele vai respirar ainda mais material particulado", diz. " risco em cima de risco." Mesmo que o estudo provoque uma reao crtica de grupos antitabagistas, dificilmente os fabricantes conseguiriam reduzir a gerao de material particulado, produzido pela queima do papel e dos compostos. "No como o filtro, colocado para "segurar" as outras substncias como a nicotina", afirma o pesquisador. "Todo o material conhecido pela indstria que pudesse substituir o usado hoje vai ser queimado e, por conseqncia, vai produzir material particulado." Basta saber se a Anvisa (Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria), que examina a composio do cigarro no Brasil, exigir padres mximos de material particulado como j pede de nicotina, alcatro e monxido de carbono. fonte: Portal da Sade Pblica do Par - portal.sespa.pa.gov.br