Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Pneu
País: Brasil
Fonte: http://www.sucatas.com/pneu.html
Data: 4/2011
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.sucatas.com/pneu.html
Curiosidade (texto):
A triturao dos pneus para uso na regenerao da borracha, mediante a adio de leos aromticos e produtos qumicos desvulcanizantes um dos principais mercados para a reciclagem desse material. Com a pasta resultante deste processo, as indstrias produzem tapetes de automveis, solado de sapato, pisos industriais e borrachas de vedao, entre outros. No Brasil j h tecnologia em escala industrial que regenera borracha por processo a frio, obtendo um produto reciclado com elasticidade e resistncia semelhantes ao do material virgem. Alm disso, essa tcnica usa solventes capazes de separar o tecido e o ao dos pneus, permitindo seu reaproveitamento. O p gerado na recauchutagem e os restos de pneus modos podem ser aplicados na composio de asfalto de maior elasticidade e durabilidade, alm de atuarem como elemento aerador de solos compactados e pilhas de composto orgnico. Os pneus inteiros so reutilizados em pra-choque, drenagem de gases em aterros sanitrios ,conteno de encostas,produtos artesanais. No Brasil, as carcaas so reaproveitadas como estrutura de recifes artificiais no mar, visando o aumento da produo pesqueira. possvel recuperar energia com a queima de pneus velhos em fornos controlados - cada pneu contm a energia de 9,4 litros de petrleo. No Brasil, calcula-se que existam 500 mil pneus disponveis para utilizao como combustvel, proporcionando economia de 12 mil toneladas de leo. A usina da Petrobrs de So Mateus no Paran incorpora no processo de extrao de xisto betuminoso pneus modos que garantem menor viscosidade ao mineral e uma otimizao do processo. Quanto reciclado? 10% das 300 mil toneladas de sucata disponveis no Brasil para obteno de borracha regenerada so de fato recicladas, segundo dados da empresa Relastomer. No h dados no Brasil sobre taxa referentes s demais formas de reciclagem de pneus. Sabe-se, porm que os chamados "carcaceiros" recuperam mais de 21 milhes de pneus por ano, sob as diversas formas. Os EUA, que geram 275 milhes de pneus velhos por ano, tm em estoque cerca de 3 bilhes de carcaas. VALOR Pneus com meia vida ou carcaas passveis de recauchutagem tm valor positivo. Pneus no passveis de recuperao tm valor negativo: os geradores da sucata normalmente pagam s empresas de limpeza urbana para o recebimento do material. Conhecendo o material O Brasil produz cerca de 35 milhes de pneus por ano. Quase um tero disso exportado para 85 pases e o restante roda nos veculos nacionais. Apesar do alto ndice de recauchutagem no Pas, que prolonga a vida dos pneus em 40%, a maior parte deles, j desgastada pelo uso, acaba parando nos lixes, na beira de rios e estradas, e at no quintal das casas, onde acumulam gua que atrai insetos transmissores de doenas. Os pneus e cmaras de ar consomem cerca de 57% da produo nacional de borracha e sua reciclagem capaz de devolver ao processo produtivo um insumo regenerado por menos da metade do custo da borracha natural ou sinttica. Alm disso, economiza energia e poupa petrleo usado como matria-prima virgem e at melhora as propriedades de materiais feitos com borracha. Qual o seu peso no lixo? No Rio de Janeiro, os pneus e artefatos de borracha em geral correspondem a 0,5% do lixo urbano e em So Paulo correspondem menos de 3%. Nos EUA, os pneus compem 1% dos resduos. Sua histria Depois que o norte-americano Charles Goodyear descobriu, no sculo XIX, o processo de vulcanizao, deixando cair borracha e enxofre casualmente no fogo, a demanda por esse produto se multiplicou no mundo. Mais tarde, a Alemanha comeou a industrializar borracha sinttica a partir do petrleo. A recuperao de energia e a recauchutagem foram as primeiras formas de reciclagem de pneus. Com o avano tecnolgico, surgiram novas aplicaes, como a mistura com asfalto, em concentrao de 15% a 25%, apontada hoje nos EUA como uma das melhores solues para o fim dos cemitrios de pneus. E as limitaes ? POLUIO A queima de pneus para aquecer caldeiras regulamentada por lei. Ela determina que a fumaa emanada se enquadre no padro I da escala de Reingelmann para a totalidade de fumaas. Os principais usurios de pneus em caldeiras so as indstrias de papel e celulose e as fbricas de cal e cimento, que usam a carcaa inteira e aproveitam alguns xidos contidos nos metais dos pneus radiais. A queima a cu aberto, que gera fumaa negra de forte odor (dixido de enxofre) proibida em vrios pases, inclusive no Brasil. importante saber... REDUO DA FONTE DE GERAO Nos ltimos 40 anos, a melhoria das tcnicas de manufatura aumentou muito em mdia a vida til dos pneus. A recauchutagem, que no Brasil atinge 70% da frota de transporte de carga e passageiros, outro importante meio para se reduzir esses resduos. COMPOSTAGEM A sucata de pneu no pode ser transformada em adubo. Mas a borracha cortada em pedaos de 5cm pode ajudar na aerao do composto orgnico. Essas partculas devem ser retiradas do adubo antes da comercializao. INCINERAO O pneu altamente combustvel, com poder calorfico de 12 mil a 16 mil BTUs por quilo, superior ao carvo. ATERRO Dispostas em lixes, aterros, ou outros locais abertos, as carcaas atraem roedores e mosquitos transmissores de doenas. s vezes, devido a problemas de compactao, pequenos pedaos de pneus aterrados podem voltar superfcie. Algumas cidades probem a colocao de carcaas inteiras em aterros. O ciclo da reciclagem VOLTANDO S ORIGENS Cortados em lascas, os pneus velhos so transformados em p de borracha, purificado por um sistema de peneiras. O p modo at atingir a granulao desejada e, em seguida, passa por tratamento qumico para possibilitar a desvulcanizao da borracha. Em autoclaves giratrios, o material recebe o oxignio, calor e forte presso, que provocam o rompimento de sua cadeia molecular. Assim, a borracha passvel de novas formulaes. Ela sofre um refino mecnico, ganhando viscosidade, para depois ser prensada. No final do processo, o material ganha a forma de fardos de borracha regenerada. Eles so misturados com outros ingredientes qumicos para formar uma massa, de borracha que moldada ao passar por uma calandra e um gabarito. Numa bateria de prensas, a borracha vulcanizada, formando os produtos finais, como tapetes de carro e solas de sapato. Fonte: www.cempre.org.br RESOLUO CONAMA N 258, de 26/08/99 - Determina que as empresas fabricantes e as importadoras de pneumticos ficam obrigadas a coletar e dar destinao final ambientalmente adequadas aos pneus inservveis. fonte: www.ambientebrasil.com.br