• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Brasil j produz plstico verde em escala comercial
País: Brasil
Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=599
Data: 9/2011
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=599
Curiosidade (texto):
De fonte renovvel e constitudo de elementos que se reintegram novamente natureza, o biopolmero parece sonho Propriedades como leveza, resistncia e durabilidade fizeram com que o plstico rapidamente dominasse o mercado das embalagens. Essas duas ltimas propriedades, no entanto, tm mostrado sua face problemtica na forma de lixo acumulado, gerando conseqncias, como proliferao de doenas e enchentes por entupimento das redes de drenagem, entre outras. Isso sem contar com a matria-prima no renovvel: o petrleo. Pesquisas cientficas, por outro lado, levaram produo de um material com propriedades semelhantes, de fonte renovvel, que neutraliza carbono e ainda gera um resduo biodegradvel compostvel: o biopolmero, j produzido e comercializado em escala industrial no Brasil, a partir do acar. A PHB Industrial proprietria da marca biocycle (ciclo biolgico), que teve seu desenvolvimento iniciado em 1992, com estudos de fermentao visando produo de polmero biodegradvel. A explicao do diretor executivo da empresa, Sylvio Ortega Filho. Ainda com um mercado mais direcionado Europa, sia e Estados Unidos, que avana no consumo consciente, a produo, de 50 a 60 toneladas por ano, pequena em termos de polmero. Mas est prevista para 2009/2010 a ampliao da planta para a produo de dez mil tonelada anuais. O material atende a diversas tcnicas produtivas, como injeo, extruso, termoformagem e prensagem. S no foi possvel ainda a aplicao para a produo do filme (saco plstico), segundo Sylvio. Em 1994 foram concludos os estudos laboratoriais para as fases de produo, incluindo pr-fermentao, fermentao, extrao e purificao. A avaliao preliminar da tecnologia e avaliao econmica indicaram o potencial para o mercado internacional, segundo informaes de Maria Filomena de Andrade Rodrigues, do Laboratrio de Biotecnologia Industrial (LBI) do Instituto de Pesquisas Tecnolgicas (IPT), ligado ao Governo do Estado de So Paulo, onde a tecnologia foi desenvolvida e, posteriormente, transferida para a PHB Industrial. Em 1995, foi instalada a planta piloto, na Usina da Pedra, em Serrana, Estado de So Paulo, com os primeiros testes para a produo do polihidroxibutirato (PHB), com capacidade de cinco toneladas anuais. Em 2000, a planta foi redimensionada, ampliando sua capacidade para as atuais 50 toneladas/ano. Industrializada, a cana-de-acar se transforma em sacarose (acar) e fibra (bagao). Por fermentao, a sacarose transformada no polihidroxibutirato (PHB); e a fibra, utilizada como fonte de energia. O plstico biodegradvel constitudo basicamente por carbono, hidrognio e oxignio. Dele pode derivar tambm o polihidroxibutirato valerato (PHB-V), polister de origem natural similar. Na produo do biopolmero, o acar invertido, num processo enzimtico, pelos microorganismos da espcie Alcaligeness sp. Durante o processo, utilizado, ainda, um lcool superior como solvente para a extrao do biopolmero. O bagao da cana-de-acar utilizado na produo de energia eltrica e vapor. Os efluentes so basicamente gua e a matria orgnica da bactria, lanada na lavoura de cana-de-acar como fertilizante orgnico. Quando descartado no ambiente natural e biologicamente ativo (com presena de bactrias e fungos), associado temperatura e umidade, o biopolmero se converte em carbono e gua, concluindo o ciclo de vida natural. O Biocycle utilizado na indstria de transformao para a confeco de diversos produtos. O uso vem se expandindo, na rea da medicina, farmacologia, cosmtica e embalagens diversas, entre outros. Mais informaes: www.ipt.br www.biocycle.com.br Maristela Crispim Reprter SAIBA MAIS O uso de materiais biodegradveis no a soluo definitiva para o resduo slido urbano No caso do resduo slido domiciliar, reduo, reutilizao, reciclagem mecnica, revalorizao energtica e compostagem so as melhores opes O desenvolvimento de materiais de fonte renovvel importante para o Brasil, pelo potencial agrcola e a matriz energtica renovvel. Mas no deve engrossar a lista de materiais a serem destinados compostagem, muito menos precisam se degradar no meio ambiente ou em aterros ou lixes Os resduos degradveis tambm requerem coleta e local adequado para disposio final. Levam meses e anos para se degradar, liberam partculas, como aditivos e resduos de pigmentos, que podem afetar o meio ambiente Materiais inertes no-degradveis oferecem menor risco ao meio ambiente, facilitam e permitem o aproveitamento do resduo por meio de reciclagem mecnica e/ou energtica. fonte: www.diariodonordeste.com.br