• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:







Curiosidades


Assunto: Lixo domstico: como reduzi-lo e diminuir seu impacto no ambiente
País: Brasil
Fonte: Planeta Sustentvel
Data: 10/2011
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/lixo-domestico-coleta-seletiva-separacao-dicas-501359.shtml
Curiosidade (texto):
"Do total produzido nas casas, apenas 2% destinado coleta seletiva", afirma a biloga Elen Aquino, pesquisadora do Centro de Capacitao e Pesquisa em Meio Ambiente (Cepema), da Universidade de So Paulo. O restante vai parar em lixes a cu aberto ou, na melhor das hipteses, em aterros sanitrios cuja capacidade mxima j est prxima do limite. Para piorar o quadro, muitas vezes o cidado toma o cuidado de separar metais, vidros, plsticos e papis acreditando que esses materiais sero reciclados, mas as empresas de limpeza contratadas pela prefeitura acabam por mistur-los num mesmo caminho. O desempenho das administraes municipais costuma ser um lixo em matria de lixo, mas no por falta de boas leis. No estado de So Paulo, por exemplo, a legislao obriga todos os condomnios com mais de cinquenta unidades residenciais a ter coleta seletiva de lixo. Uma nova lei publicada na semana passada determina que shoppings, prdios comerciais e indstrias da cidade de So Paulo separem o lixo reciclvel. S podero ser levados a aterros o lixo orgnico e materiais que no so reaproveitveis, como isopor, espelhos e papel higinico. Em que pesem as consuetudinrias dificuldades brasileiras de fazer valer a legislao, e no s quando o assunto sujeira, preciso perseverar na diviso do lixo domstico e, alm disso, tentar diminuir a quantidade diria de dejetos. No mnimo, voc manter a conscincia mais limpa. A seguir, as quatro solues domsticas que mais ajudam a reduzir o lixo dentro e, consequentemente, fora de casa. SEPARAO E RECICLAGEM DE PAPIS, VIDROS, PLSTICOS E METAIS Como fazer: evidentemente, usando recipientes diferentes para cada material. Papis, em geral, so reciclveis, com exceo daqueles sujos. No podem ser reciclados: fraldas descartveis, absorventes, papel higinico, guardanapos de papel, papel-toalha e embalagens metalizadas de salgadinhos. O ideal que voc encontre tempo para verificar se o que separou em casa continuar separado no caminho de lixo e depois encaminhado, de fato, a uma usina de reciclagem. No mnimo, para no fazer papel de trouxa que, como todos sabemos, no reciclvel Vale a pena para a cidade? E como! Os materiais reciclveis representam 70% do volume de lixo produzido numa cidade. Por isso, separ-los dos outros detritos resulta em muito mais espao nos aterros sanitrios Em quanto reduz a poluio ambiental? A reciclagem retira do lixo uma srie de materiais que levariam um tempo assombroso para se decompor como plstico (450 anos), latas de alumnio (200 anos) ou vidro (1 milho de anos). Alm disso, ao ser reaproveitado, o lixo reciclvel economiza recursos naturais. "Uma tonelada de papel reciclado poupa 22 rvores, 75% de energia eltrica e polui o ar 74% menos do que a produo da mesma quantidade de papel com matria-prima virgem", diz a biloga Elen Aquino COMPOSTAGEM DOMSTICA Como fazer: pode ser montada em um tambor de plstico. O tamanho da composteira de cascas de frutas, folhas e talos depende muito do espao disponvel para abrig-la. Para uma famlia formada por um casal e dois filhos, um tambor de 50 litros suficiente para comportar o lixo produzido em um ms 1. Para comear, preciso fazer furos na lateral do recipiente, a fim de escoar o lquido que se forma com a decomposio dos restos. Ele pode ser recolhido em vasilhas. No se preocupe: esse lquido no txico, ao contrrio do chorume dos aterros, que resulta da mistura de outros tipos de detrito 2. Com o recipiente da composteira pronto, forre o fundo com pedrinhas e coloque a primeira camada de lixo orgnico. Em seguida, cubra-a com terra de jardim, folhas secas ou serragem. V intercalando as camadas de detritos com esse tipo de cobertura 3. A cada dois ou trs dias, revolva camadas e coberturas, para garantir a oxigenao do material e acelerar, assim, a decomposio. Autor: Anna Paula Buchalla* Revista Veja 23/09/2009