• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:







Curiosidades


Assunto: Bebida alcolica apreendida vai virar etanol e lcool gel
País: Brasil
Fonte: Setor Reciclagem
Data: 1/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=1005
Curiosidade (texto):
A Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste) j iniciou a produo em escala-piloto a partir de bebidas alcolicas apreendidas pela Receita Federal no Paran. Com sede em Guarapuava (259 km de Curitiba), a universidade tem capacidade para processar mil litros diariamente. A Receita repassou 46 mil litros de bebidas apreendidas entre novembro de 2008 e dezembro do ano passado. A maior parte oriunda de bebidas contrabandeadas do Paraguai. O coordenador do projeto, professor Maico Cunha, afirma que a cada mil litros de bebidas fermentadas ou destiladas so retirados 200 litros de etanol. Na primeira fase, 500 litros de cachaa sero transformados em lcool gel, usados na prpria universidade. Todos os resduos da bebida sero reaproveitados --o prazo de validade da bebida no interfere na produo. O lquido separado do etanol possui acares com nutrientes que podem ser usados como adubo para plantas. As embalagens tambm so encaminhadas para reciclagem. Inicialmente, apenas a delegacia da Receita Federal em Ponta Grossa est mandando o material apreendido, mas o projeto prev que outras unidades enviem bebidas para a Unicentro. Cunha diz que a universidade tem capacidade para aumentar a produo. "Nada impede que a gente aumente esse montante possibilitando a coleta dos materiais de outras unidades da Receita", diz o coordenador. De acordo com o delegado-adjunto da Receita em Ponta Grossa, Gustavo Luis Horn, a parceria resolveu o problema de espao no depsito, possibilitando novas operaes. Com o depsito lotado, a unidade era obrigada a reduzir o nmero de apreenses por no ter onde armazenar. Alm disso, a destruio do material ao atingir o solo pode acarretar em problemas ambientais. " uma situao muito interessante pelo fato de fazermos a destruio sem problemas ecolgicos", declara Horn. fonte: www.folha.com.br