Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Lixo eletrnico na China - CNN
País: Brasil
Fonte: http://lixoeletronico.org/blog/lixo-eletrnico-na-china-cnn-0
Data: 1/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://lixoeletronico.org/blog/lixo-eletrnico-na-china-cnn-0
Curiosidade (texto):
Em novembro de 2007, um artigo na CNN mostrou um lado da indstria eletro-eletrnica que muitas vezes fica oculta. Falava sobre Guiyu, cidade na China onde feito o processamento de grande parte do lixo eletrnico no s da China como tambm de muitos pases ditos "desenvolvidos". Diz o artigo: Por cinco anos, ambientalistas e a mdia tm dado destaque aos perigos para trabalhadores chineses que decompem grande parte dos eletrnicos do mundo. Apesar disso, uma visita a esta cidade do sudeste da China (Guiyu) tida como o corao do despejo de "lixo eletrnico" mostra que houve pouca melhora. Na verdade, o problema est piorando ainda mais por causa da contribuio da prpria China. A china hoje produz mais de um milho de toneladas de lixo eletrnico a cada ano, disse Jamie Choi, um ativista com o Greenpeace China em Beijing. Isso se soma a cerca de 5 milhes de aparelhos de televiso, 4 milhes de refrigeradores, 5 milhes de mquinas de lavar, 10 milhes de telefones celulares e 5 milhes de computadores pessoais, de acordo com Choi. "A maioria do lixo eletrnico na China vem de outros pases, mas a quantidade do lixo eletrnico domstico est aumentando", ele falou. Esse negcio feio movido por pura economia. Para o ocidente, onde regras de segurana aumentam o custo do descarte, at 10 vezes mais barato exportar o lixo para pases em desenvolvimento. Na China, migrantes pobres do interior enfrentam os riscos sade para ganhar alguns yuan, explorados por empreendedores sedentos por lucro. Como em muitos outros casos, a China exacerba prticas que rolam de maneira cotidiana em todo o mundo. Explorao de trabalho potencialmente danoso, vista grossa das autoridades, tudo pelo lucro, terceirizao de danos. Os chineses que trabalham com isso ganham por volta de 100 dlares por ms. No tem como no lembrar dos depsitos em reas perifricas de So Paulo, onde adolescentes derretem a solda de placas de circuitos, sem nenhuma proteo ou mesmo conscincia do mal que os resduos podem trazer. Uma vez o Adilson, saudoso coordenador de logstica do Agente Cidado, me contou que tinha conhecido um desses "empresrios" em So Mateus, que dizia ser o "maior especialista em reciclagem de eletrnicos" do Brasil. O trabalho dele se resumia a comprar ou receber de doao grandes lotes de eletrnicos e vend-los para a China. Jogava a sujeira pra baixo do tapete, ganhava dinheiro e ainda falava em nome de "reciclagem". Outro trecho interessante do artigo da CNN: "Claro, reciclagem soa ambientalmente melhor", diz Wu Song, um estudante universitrio local que estudou na rea. "Mas eu na verdade no chamaria o que est acontecendo aqui de reciclagem". Tambm l, os poucos que tentam fazer as coisas do jeito certo no obtm muito sucesso. J ouvi no Brasil coisas parecidas com o que diz Gao Jian, diretor de marketing da New World Solid Waste, na cidade de Qingdao: "Ns nem atingimos o break-even (quando o faturamento supera o investimento). Esses caras pagam mais porque eles no precisam de equipamento caro, mas os mtodos deles so realmente perigosos."