Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: ENERGIA, GS E LIXO
País: Brasil
Fonte: http://www.bollazul.com.br/conscientizacao-ambiental/energia-alternativa/energia-gas-e-lixo
Data: 7/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.bollazul.com.br/conscientizacao-ambiental/energia-alternativa/energia-gas-e-lixo
Curiosidade (texto):
By Redao bollAzul Energia alternativa, Lixo 27 fev 2010 Para quem no sabe, o gs do lixo j utilizado como fonte de energia (energia limpa, mesmo sendo do lixo) desde 2004 no Brasil. O gs metano retirado do aterro (Aterro Bandeirantes em So Paulo) abastece aproximadamente 300 mil moradores da capital paulista. Segundo estimativa do Plano Decenal de Produo de Energia 2008/2017, o lixo gerado pelas 300 maiores cidades do Brasil, poderia produzir 15% da energia eltrica total consumida no pas. Mas, segundo o Ministrio de Minas e Energia, os esforos atuais sero direcionadas para as fontes de energia renovvel elica, solar e hidreltrica. Essa falta de interessa influencia diretamente na tecnologia e desenvolvimento que o pas pode direcionar para a energia produzida por meio do lixo. Segundo o professor Luciano Bastos, pesquisador do Ivig (Instituto Virtual Internacional de Mudanas Globais), a nica usina construda especialmente para este fim, a termeltrica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com capacidade 440 kW por ms. Alm dessa usina, existem os aterros sanitrios que utilizam o gs metano (resultante da decomposio natural da matria orgnica). Existe o Aterro Novagerar, em Nova Iguau foi o primeiro do mundo a vender crditos pelo Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), do Protocolo de Kyoto. Aterro Bandeirantes, tambm no Rio de Janeiro, que gera energia correspondente a 20 mW ou 160 mil casas, e usada pelo Unibanco. O Aterro So Joo, em So Paulo, gera 24.8 mW ou 198,4 mil casas, vendida para grandes consumidores, como os shopping centers. Mas para Bastos afirma que, diferentemente das usinas, os aterros no so projetados para gerar energia, apenas armazenar lixo, e por isso so menos eficientes. A transformao do lixo em energia tem dois benefcios aparentes: o incentivo e armazenagem correta dos resduos, que a partir da se tornam matria-prima. Estudos do IBGE de 2000 mostram que 63,3% dos municpios brasileiros (considerem a, alm das autoridades tambm ns que formamos a populao) tratam o lixo de forma errada. O segundo benefcio seria o econmico, afinal, sendo uma fonte de energia renovvel, o lixo pode gerar crditos de carbono e favorecer o Brasil nas negociaes sobre mudanas climticas. Os crditos de carbono se deve a queima do metano, gs natural da decomposio orgnica. Este gs mais danoso que o velho conhecido gs carbnico CO2 (eliminado com a combusto) e favorece ao aquecimento global.