• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Nas guas, os medicamentos se convertem em veneno
País: Brasil
Fonte: Setor Reciclagem
Data: 7/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=1397
Curiosidade (texto):
Como voc descarta medicamentos vencidos? Saiba que boa parte deles vai parar nos esgotos e as estaes de tratamento, que tem a misso de reciclar a gua, podem estar fazendo com que voc tome gua contaminada, no importando se de um filtro ou engarrafada. Autor: Gunter Pauli As cidades que reciclam esgoto aumentam o involuntrio consumo de medicamentos. Na medida em que aumenta a escassez de gua potvel, a reciclagem de gua recebe um estmulo. Embora exista certa lgica na recuperao de esgoto, numerosos remdios vo parar em todo o mundo em nossos sistemas de gua potvel. Ainda no compreendemos exatamente os efeitos precisos que isto tem na sade humana, mas os estudos feitos sobre animais sugerem que nos encaminhamos para uma crise. Medicamentos para metabolismo, antibiticos e hormnios sintticos para controle da natalidade acabam em nossas guas superficiais e na gua potvel. Pior ainda, a presena de remdios no esgoto to importante que milhares de toneladas fluem anualmente para o mar e acabam absorvidos pelos peixes e outros mariscos que consumimos. A produo de antibiticos est aumentando, j que mais de 50% do consumo mundial no para tratamento mdico, mas para engordar as vacas mais rapidamente. Os remdios causam efeitos na reproduo e apario de mutaes genticas, bem como ms-formaes na vida aqutica. Por exemplo, resduos do medicamento Prozac fazem com que os mexilhes machos procriem, enquanto os remdios contra hipertenso causam impactos negativos nos lagostins e caranguejos. A infiltrao de antibiticos e antibactericidas, por sua vez, aumentam a resistncia das bactrias. Os medicamentos antitumores, usados na quimioterapia, causam mutaes genticas e ms-formaes. H provas das alteraes endcrinas provocadas na vida silvestre quando esta exposta, ainda que apenas a pequenssimas doses, de hormnios sintticos. Os analgsicos, por exemplo, o ibuprofeno, e inclusive a nicotina, no so eliminados durante o processo para deixar a gua potvel. Cremos que controlamos a inalao passiva da fumaa do cigarro com a proibio de fumar em locais pblicos. Mas agora parece que fumamos por meio de nossa gua potvel! A cidade de Anturpia, na Blgica, tem mais cocana em sua gua potvel do que qualquer outra cidade do mundo. Chegaremos a ser acusados do consumo de drogas pesadas apenas por hidratarmos nosso corpo? As instalaes convencionais para o tratamento da gua potvel so incapazes de eliminar os medicamentos. H estudos que demonstram que a coagulao, sedimentao e filtragem da gua eliminam apenas de 10% a 12% de ingredientes ativos. Esta poro se acumula no resduo resultante do tratamento, que frequentemente reciclada como adubo e acaba por novamente afetar nossa cadeia alimentar. Embora a filtragem com carvo ativado e o tratamento com oznio possam eliminar at 75% desses elementos, ficamos expostos aos efeitos negativos dos restantes 25%. Enquanto a gua continuar sendo reciclada e re-reciclada nos que resultam ser circuitos fechados enquanto aumenta o consumo de remdios, a sociedade e o ecossistema estaro expostos a perigos de um amplo coquetel farmacutico. Pode, ento, ser uma surpresa que setores inteiros da populao comecem a sofrer inesperadas mudanas de humor e at de comportamento sexual? Pesquisadores na Filadlfia descobriram que havia 56 medicamentos na gua potvel j tratada. Quase 20 milhes de moradores da Califrnia do Sul esto expostos ingesto indesejada de antiepilticos e ansiolticos. A gua potvel de So Francisco contm um hormnio sexual sinttico difcil de se decompor. Infelizmente, a gua engarrafada gua potvel filtrada que se vende em uma embalagem de plstico (em geral, pouco amigvel com o meio ambiente). E a maioria das empresas tampouco realiza anlise em busca de remdios na gua que vendem, E, inclusive, os sistemas de filtragem de gua em nossas casas reduzem, mas no eliminam os medicamentos. A nica segurana possuir um poo em uma bacia hdrica que possamos controlar, o que para pouqussimos. hora de se rever os sistemas sanitrios e de busca de medicamentos efetivos. Como resultado destas preocupaes legtimas a medicina tradicional e natural se torna mais relevante do que nunca. A iniciativa da Constituio do Buto de garantir a utilizao da medicina tradicional a todos os cidados soa como uma deciso visionria. Como espalhamos medicamentos indiscriminadamente no meio ambiente, urgente proporcionar novas pautas indstria farmacutica para o estabelecimento de datas de vencimento de seus produtos. A resposta tpica dos interesses econmicos implicados que no h provas cientficas de que a presena de medicamentos na gua potvel afete os seres humanos. O problema que, quando forem entregues as provas completas e alm de toda dvida razovel, ser muito tarde. Portanto, parecem necessrias trs iniciativas paralelas. Primeiro, todos os remdios devem incluir um mecanismo gatilho que assegure a desintegrao das complexas frmulas fora de sua embalagem. Segundo, as estaes para deixar a gua potvel e as instalaes de engarrafamento devem ser equipadas para medir a presena de medicamentos. Embora no momento no seja possvel obrigar todas as cidades a instalarem um mecanismo de reverso da osmose, que elimine 95% dos remdios e deixe apenas 5%, j que tal soluo extrema aumentaria enormemente o custo da gua, algo deve se feito. Por exemplo, mudar o projeto dos remdios, sem que o custo disso passe ao usurio. Em terceiro lugar, talvez devssemos, finalmente, enfrentar as causas que levam ao macio consumo de plulas. Chegou a hora de buscar uma vida mais s e menos estressante. Enquanto as primeiras duas iniciativas podem ser decididas por todo governo responsvel, a terceira deve ser tomada por todos antes que seja tarde demais. Gunter Pauli escritor e empresrio nos campos da educao, cincias e artes.