• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Quem ganha com o fim da distribuio das sacolinhas?
País: Brasil
Fonte: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/noticias-plastico-sacolas-proibicao
Data: 8/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/noticias-plastico-sacolas-proibicao
Curiosidade (texto):
Prejuzos no bolso do consumidor, que ter que pagar por alternativas para levar as compras para casa, e desemprego na indstria plstica so os principais argumentos daqueles que se posicionam contra o fim da distribuio das sacolas plsticas descartveis nos supermercados. A polmica a respeito do tema tomou novo flego, nos ltimos dias, por conta do acordo firmado entre a Apas - Associao Paulista de Supermercados e o governo do Estado de So Paulo que comea a valer, oficialmente, hoje (4). As redes varejistas afiliadas Associao deixaro de distribuir, nos caixas, as sacolinhas plsticas descartveis. Para Srgio Esteves, diretor-presidente da AMCE Negcios Sustentveis e consultor de sustentabilidade da Editora Abril, a medida extremamente positiva para a sociedade e nenhum dos argumentos citados acima convence. "No porque j temos um modelo de negcios e atuao consolidado que significa que ele o correto e deva ser mantido. O fim da distribuio das sacolas plsticas vai, sim, impactar a indstria e a vida do consumidor, mas um rompimento necessrio", afirma o especialista. O motivo simples: na opinio de Esteves, atualmente, o setor est ganhando dinheiro custa da vida no planeta. "O impacto da sacolinha conhecido. Ela entope bueiros e causa enchentes; destri a vida marinha e, consequentemente, impacta no equilbrio da vida que temos hoje no planeta. No d para ganhar dinheiro deixando a conta do estrago que estamos causando para o futuro. Mais cedo ou mais tarde, algum vai ter que pagar a conta", diz o consultor, que ainda completa: "No adianta protelar uma medida que, hora ou outra, vai ter que ser tomada. O uso das sacolinhas um hbito comum hoje, o que no significa que seja um hbito correto. No !". Esteves ainda pontuou que o atual cenrio uma excelente oportunidade para a fomentao de "negcios do bem". "O histrico do capitalismo esse. Pessoas esto ganhando e perdendo emprego o tempo todo. Enquanto algumas empresas morrem porque no so capazes de se reinventar, frente s novas demandas da sociedade, outras surgem rumo a novos paradigmas. Estamos na era dos negcios de bom senso", destaca. Quanto ao fato de que, a partir de agora, quem quiser sacolas plsticas ter que compr-las, Esteves bem direto: "Eu acho timo! E, na minha opinio, o preo das sacolinhas deveria ser equivalente ao estrago que elas causam no planeta". O consultor explica por qu: "A sustentabilidade um debate pblico e no privado. A populao deve receber mais educao para que tenha maior autonomia em suas aes. Se voc sabe dos impactos das sacolas plsticas e, ainda assim, decide us-las, ao invs de reeducar seus hbitos, tudo bem! Mas voc deve pagar pelos estragos que elas causam. Esse dinheiro vai para o governo que deve revert-lo em medidas que ajudem a compensar os impactos gerados durante sua produo e uso", finaliza.