Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: O Ciclo 3R para o Lixo Eletrnico
País: Brasil
Fonte: http://ciclo3reletronico.blogspot.com.br/
Data: 11/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://ciclo3reletronico.blogspot.com.br/
Curiosidade (texto):
Brasileiros tm dificuldade para dar fim ao lixo eletrnico Se for descartado de qualquer jeito, coloca em risco a sade de muita gente e do planeta. Mas dar um destino ecologicamente correto ao lixo eletrnico pode no ser to fcil assim. Sabe aquela TV quebrada, aquele computador ultrapassado que no serve para mais nada? Um relatrio da ONU revelou que o Brasil o pas emergente que produz o maior volume de lixo eletrnico por habitante. O Fantstico mostra que no nada fcil dar cabo dessas tranqueiras. Impressora quebrada, secretria eletrnica antiga e o rdio-relgio: tudo isso lixo eletrnico. So 40 milhes de toneladas por ano, no mundo inteiro. Todos esses aparelhos velhos contm materiais txicos dentro, explica Ana Maria Luz, ambientalista do instituto GEA. Ou seja: se forem descartados de qualquer jeito, colocam em risco a sua sade e a do planeta. S que dar um destino ecologicamente correto ao lixo eletrnico pode no ser to fcil assim. Ns fizemos um teste em trs capitais: So Paulo, Fortaleza e Vitria. Como tantos brasileiros, o aposentado Guilherme Filgueiras, Vnia e o administrador de empresas Marcelo Cavarzere tm um monte de tranqueiras em casa. A reprter Renata Cafardo pergunta para o Marcelo o que ele poderia fazer com o aparelho de som quebrado. Na minha opinio, isso lixo, comenta o administrador de empresas. O desafio de Marcelo ligar para prefeituras e empresas em busca de informaes. Em So Paulo, o fabricante da secretria eletrnica de Marcelo informa que no recolhe o produto. A prefeitura, por sua vez, fala para entrar em contato com a subprefeitura de Santana, o bairro onde Marcelo mora. A atendente diz que pode mandar buscar o equipamento. Marcelo: E o que vocs fazem com isso? Atendente: Eles levam para um terreno em que eles jogam as coisas. Marcelo: Eles levam para um terreno e jogam as coisas, isso? Atendente: Eles separam, e o que no vai eles jogam no terreno. Em nota, a subprefeitura de Santana garante que houve um mal-entendido. O lixo, diz o texto, encaminhado para cooperativas cadastradas. Em Fortaleza, mais jogo de empurra dos rgos pblicos. Na secretaria de Meio Ambiente do municpio ningum atende, em pleno horrio comercial. Guilherme liga para a empresa que recolhe o lixo da cidade, e a orientao procurar a Federao das Indstrias do Cear. Aqui, no Cear, eu no tenho conhecimento de pessoas que recebam esse tipo de material, informa a atendente. E em Vitria? Depois de nove ligaes para lugares diferentes, Vnia consegue falar com o atendente do programa "Bota Fora", da prefeitura. Ele conta o que feito com o lixo eletrnico coletado: o lixo coletado jogado fora, l para os lados de Cariacica, esses cantos a. Quem joga l a empreiteira. um lixo l que eles tm mesmo. A prefeitura de Vitria negou, tambm em nota, esse tipo de prtica. Para Vnia, Marcelo e Guilherme, o sentimento de frustrao. Fica complicado se desfazer de uma maneira correta, reclama o aposentado Guilherme Filgueiras. Nosso teste mostrou que o brasileiro ainda recebe muitas informaes confusas. Afinal, o lixo eletrnico responsabilidade dos fabricantes ou do governo? No foi aprovada, at hoje, uma lei federal para regulamentar a questo. A Poltica Nacional de Resduos Slidos se arrasta h 19 anos no Congresso. Dezenove anos um pouco inexplicvel para um projeto de lei to necessrio ficar esse tempo todo a, declarou o analista ambiental Felipe Andueza. Enquanto isso, o consumo no para de crescer. Este ano, a expectativa da indstria de vender 14 milhes de computadores e 68 milhes de celulares. Ou seja: vem muito mais lixo por a. E o que o consumidor deve fazer se tiver um produto eletrnico que ele no usa mais em casa? O consumidor deve ligar para a indstria que produziu o seu equipamento e perguntar se ela tem algum programa de coleta e reciclagem desse equipamento, diz Felipe. Se a empresa no tiver, uma opo procurar instituies, como uma em Guarulhos, So Paulo. Nela, os aparelhos so consertados e doados a escolas pblicas e comunidades pobres. A sucata que no d para reaproveitar segue para empresas certificadas de reciclagem. Mesmo dando um pouquinho de trabalho, pesquisa. Voc vai ajudar a formar a cultura desse novo mercado de reciclagem que o Brasil tanto precisa, declarou Rodrigo Baggio, diretor do Comit de Democratizao de Informtica. O importante ter certeza de que o seu eletrodomstico no vai parar em qualquer lixo ou "terreno" por a.