Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:







Curiosidades


Assunto: Resduos Hospitalares
País: Brasil
Fonte: Setor Reciclagem
Data: 12/2013
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/reciclagem-de-residuo-hospitalar/residuos-hospitalares
Curiosidade (texto):
Os Resduos Slidos Hospitalares ou "lixo hospitalar", sempre constituiu-se um problema bastante srio para os administradores hospitalares, devido principalmente a falta de informaes a seu respeito, gerando mitos e fantasias entre funcionrios, pacientes, familiares e principalmente a comunidade vizinha as edificaes hospitalares e aos aterros sanitrios. A atividade hospitalar por si s uma fantstica geradora de resduos, inerente a diversidade de atividades que desenvolvem-se dentro destas empresas. O desconhecimento e a falta de informaes sobre o assunto faz com que, em muitos casos, os resduos, ou sejam ignorados, ou recebam um tratamento com excesso de cuidado, onerando ainda mais os j combalidos recursos das instituies hospitalares. No raro lhe so atribudas a culpa por casos de infeco hospitalar e outros tantos males. Resduos HospitalaresContaminao O maior problema o chamado lixo infectante - classe A, que representa um grande risco de contaminao, alm de poluir o meio ambiente. H estabelecimentos no fazem a separao deste material, que acaba indo para os aterros junto com o lixo normal ou para a fossa. Outro problema o chamado lixo perigoso - clase B, cuja destinao final, atualmente, fica sob responsabilidade dos hospitais. O material recolhido nos hospitais, acondicionado segundo normas que variam em funo do grau de periculosidade dos produtos, geralmente levado a um aterro prprio. J o "lixo classe C" dos hospitais tambm devidamente separado - fica sujeito ao mesmo sistema de recolhimento do restante da cidade, indo parte para reciclagem e parte para a coleta normal, que inclui apenas o material orgnico destinado ao aterro sanitrio. Separao do Lixo O treinamento para a separao desse tipo de resduo uma exigncia do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e oferecer subsdios para que os hospitais e clnicas elaborem planos de gerenciamento de resduos do servio de sade. O objetivo adequar a estrutura das unidades para o tratamento correto dos resduos. Segundo as normas sanitrias, o lixo hospitalar deve ser rigorosamente seperado e cada classe deve ter um tipo de coleta e destinao. De acordo com as normas, devem ser separadas conforme um sistema de classificao que inclui os resduos infectantes - lixo classe A, como restos de material de laboratrio, seringas, agulhas, hemoderivados, entre outros, perigosos - classe B, que so os produtos quimioterpicos, radioativos e medicamentos com validade vencida - e o lixo classe C, o mesmo produzido nas residncias, que pode ser subdividido em material orgnico e reciclvel. O treinamento visa adequar os estabelecimentos s normas de tratamento do lixo hospitalar, estabelecidas na Lei Federal n 237. Os hospitais tm prazo para apresentar um plano de gerenciamento dos resduos e, com isso, obter um licenciamento ambiental e adaptar-se s exigncias legais. Caso no consigam o licenciamento, ficam sujeitos aplicao de multas. Resduos Hospitalares Lixos Infectantes Resduos do grupo A (apresentam risco devido presena de agentes biolgicos): - Sangue hemoderivados - Excrees, secrees e lquidos orgnicos - Meios de cultura - Tecidos, rgos, fetos e peas anatmicas - Filtros de gases aspirados de reas contaminadas - Resduos advindos de rea de isolamento - Resduos alimentares de rea de isolamento - Resduos de laboratrio de anlises clnicas - Resduos de unidade de atendimento ambiental - Resduos de sanitrio de unidades de internao - Objetos perfurocortantes provenientes de estabelecimentos prestadores de servios de sade. Os estabelecimentos devero ter um responsvel tcnico, devidamente registrado em conselho profissional, para o gerenciamento de seus resduos. Processos de Destino Resduos Hospitalares- Incinerao:a incinerao do lixo hospitalar um tpico exemplo de excesso de cuidados, trata-se da queima o lixo infectante transformando-o em cinzas, uma atitude politicamente incorreta devido aos subprodutos lanados na atmosfera como dioxinas e metais pesados. - Auto-Clave: esteriliza o lixo infectante, mas por ser muito caro no muito utilizado. Como alternativa, o lixo infectante pode ser colocado em valas asspticas, mas o espao para todo o lixo produzido ainda um problema em muitas cidades. Parte dos hospitais tomam pouco ou quase nenhuma providncia com relao s toneladas de resduos gerados diariamente nas mais diversas atividades desenvolvidas dentro de um hospital. Muitos limitam-se ou a encaminhar a totalidade de seu lixo para sistemas de coleta especial dos Departamentos de Limpeza Municipais, quando estes existem, ou lanam diretamente em lixes ou simplesmente queimam os resduos. Torna-se importante destacar os muitos casos de acidentes com funcionrios, envolvendo perfuraes com agulhas, lminas de bisturi e outros materiais denominados perfuro-cortantes. O desconhecimento faz com que o chamado "lixo hospitalar", cresa e amedronte os colaboradores e clientes das instituies de sade. Lixos No-Infectantes - Especiais Radioativos: compostos por materiais diversos, expostos radiao; resduos farmacuticos, como medicamentos vencidos e contaminados; e resduos qumicos perigosos (txicos, corrosivos, inflamveis, mercrio). - Comuns Lixo administrativo, limpeza de jardins e ptios, resto de preparo de alimentos, estes no podero ser encaminhados para alimentao de animais. Resduos HospitalaresClasses dos Resduos Classe 1 - Resduos Perigosos: so aqueles que apresentam riscos sade pblica e ao meio ambiente, exigindo tratamento e disposio especiais em funo de suas caractersticas de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade. Classe 2 - Resduos No-inertes: so os resduos que no apresentam periculosidade, porm no so inertes; podem ter propriedades tais como: combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em gua. So basicamente os resduos com as caractersticas do lixo domstico. Classe 3 - Resduos Inertes: so aqueles que, ao serem submetidos aos testes de solubilizao (NBR-10.007 da ABNT), no tm nenhum de seus constituintes solubilizados em concentraes superiores aos padres de potabilidade da gua. Isto significa que a gua permanecer potvel quando em contato com o resduo. Muitos destes resduos so reciclveis. Estes resduos se degradam muito lentamente quando dispostos no solo. Esto nesta classificao, por exemplo, os entulhos de demolio, pedras e areias retirados de escavaes. Observao: esta matria foi publicada h alguns anos no Setor Reciclagem e prudente consultar os rgos competentes no caso de usar esse texto profissionalmente.