Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Dicas de reciclagem para condomnios
País: Brasil
Fonte: Setor Reciclagem
Data: 12/2013
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/coleta-seletiva/dicas-de-reciclagem-para-condominios
Curiosidade (texto):
Para que a implantao de um programa de coleta seletiva em condomnios seja um sucesso, sugerimos que seja seguido um roteiro bsico de sugestes para facilitar o trabalho. 1 ETAPA DEFINIO DA EQUIPE Organizar um grupo para elaborar, implantar e dar continuidade ao projeto. Uma forma de trabalho que tem obtido sucesso a da organizao de uma comisso interna responsvel pelo Programa, com diviso de tarefas, evitando assim a sobrecarga de uma pessoa, o que pode ocasionar a interrupo do programa no caso da mesma ter algum problema particular e necessite se afastar. A participao de crianas na comisso de implantao (para o caso de prdios residenciais) tem mostrado excelentes resultados na adeso da comunidade envolvida (ex.: "sndico mirim"). Esta comisso ficar responsvel por elaborar e implantar o projeto, pesquisar informaes sobre reciclagem, sobre depsitos para materiais reciclveis, treinamento dos funcionrios, divulgar para os moradores, etc... 2 ETAPA ELABORAO DO PROJETO Questes a serem levadas em considerao quando da elaborao do projeto: - Se existe coleta seletiva da Prefeitura ou de outra entidade na sua rua (qual o dia e horrio da coleta); - Se h para quem vender os materiais que sero recolhidos (caso haja inteno de vender); - Se existe quem transporte o material do condomnio para os intermedirios/compradores (caso haja inteno de vender); - Se existe um local disponvel para armazenar o material at que ele seja coletado ou comercializado; - Se existe disponibilidade de recurso financeiro para o projeto. Aps estas perguntas respondidas ento a comisso dever detalhar o projeto, realizar levantamento das compras necessrias, definir data de incio da coleta seletiva e como ser a divulgao interna. Fazem parte do detalhamento do projeto: - levantamento da quantidade de lixo gerado no prdio, como por exemplo, qual o espao ocupado atualmente pelo lixo, quantos sacos so utilizados por dia; - classificar o tipo de lixo gerado, o que se produz mais, jornais? Plsticos? Latinhas de refrigerante e cerveja? - levantamento dos locais disponveis para armazenamento temporrio dos materiais separados (ex.: um cantinho na garagem para colocao de contentores, lates ou baldes; adaptao de um antigo depsito; etc...); - definir como os materiais reciclveis sero entregues por cada apartamento, se separados por tipos: papel, plstico, vidro, lata, cada um em um recipiente, ou todos juntos em um recipiente. No caso de serem comercializados, recomendvel a primeira opo, separados por tipos, mas no caso de ser entregue para a coleta seletiva da prefeitura, opcional, com exceo dos vidros, que precisam estar em um recipiente separado; - definir como ser a participao das pessoas: se haver coleta interna (de apartamento em apartamento ou de andar em andar) ou se cada participante leva seus materiais para local previamente definido no prdio, em recipientes prprios; Importante deciso precisa ser tomada: Caso a deciso seja: 1 Doao dos materiais reciclveis: a) essencial um contato formal com o setor responsvel pela coleta seletiva, informar-se sobre os dias e horrios e comunicar que o prdio/condomnio est separando o lixo, garantindo assim que o servio de coleta ser realizado; b) verificar se a entidade filantrpica que se pretende doar os materiais tem como vir recolher no prdio e com qual freqncia ou se necessrio entregar na sua sede; c) caso os materiais venham a ser entregues para os catadores, importante garantir que estes recolham todo o material evitando catao nos depsitos, alm terem freqncia de coleta. 2 Se o destino dos materiais coletados for a comercializao, preciso planejar como ser feito o transporte, quem pode comprar ( necessrio elaborar uma lista com os sucateiros que compram reciclveis), consultar o sucateiro sobre tipos de materiais mais lucrativos, preo e o tipo de material que cada um deles compra, se o sucateiro faz o transporte. bom lembrar que necessrio acompanhar a comercializao. IMPLANTAO Antes de iniciar a divulgao, necessrio adquirir os depsitos e/ou adaptar os locais para armazenamento at a coleta (ver sugesto de depsitos e clculo do tamanho). Aps terem sido encaminhadas as questes de infra-estrutura, os idealizadores do programa de coleta seletiva, precisam ento se dedicar a "vender" a idia ou seja divulgar, incentivar e esclarecer o projeto para a sua comunidade bem como definir de que forma ser feita a manuteno da iniciativa. A divulgao, incentivo e esclarecimento do projeto podem ser feitos atravs de reunies, bate-papos, cartazes (que podem ser elaborados por crianas, atravs de concursos), folhetos, e que devem conter informaes sobre o que coleta de lixo, sua importncia, vantagens, como cada um deve separar seu lixo, como e onde os materiais separados ficaro armazenados, como ser a coleta interna e externa, se o material ser vendido, etc... Um boletim mensal sobre o programa e novas informaes sobre reciclagem uma boa forma de manter sempre o assunto vivo, alm de reunies peridicas entre a comisso responsvel e qualquer outra pessoa interessada. O ESCOAMENTO O encaminhamento dos materiais recolhidos pela coleta seletiva para a indstria da reciclagem ou para outras formas de reaproveitamento, o objetivo final e mais importante do processo: se no houver receptores, todo o esforo da comunidade no ter adiantado nada, pois os materiais continuaro sendo colocados fora, continuaro poluindo o meio ambiente. PORTANTO, CERTIFIQUE-SE DE QUE OS MATERIAIS SEPARADOS ESTO SENDO ENCAMINHADOS PARA A RECICLAGEM !!! Identifique os materiais a destinar coleta: Papel Jornais, livros, revistas, folhas de cadernos, Folhetos, comerciais, folhas de rascunho, Papis de embrulho, sacolas, caixas de brinquedo, caixas de papelo, caixa de ovos, Caixas multilaminadas (tipo longa vida) Plstico Garrafas plsticas, Embalagens de produtos de limpeza, de cremes, de xampus, de pasta de dente, baldes, bacias, Tubos e canos, Sacos, sacolas e saquinhos de leite, Restos de brinquedos Vidro Garrafas, cacos de vidro, vidros de conserva, frascos de medicamentos e perfumaria, Lmpadas incandescentes, espelhos, vidros planos, cristais Metais Latinhas de cerveja, de refrigerante, latas de conservas, objetos de alumnio, cobre, lato, chumbo, bronze, ferro e zinco Orgnicos Cascas e bagaos de frutas, verduras e legumes, restos de comida, borra de caf, ch, Folhas secas, flores, aparas de grama, mato, toalhas de papel molhadas ou engorduradas referncia: Curupira Ambiental - www.curupira.org.br