Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Estatsticas sobre o lixo brasileiro
País: Brasil
Fonte: http://www.amon.com.br/pesquisa/reciclagem/lixo2.html
Data: 1/2014
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.amon.com.br/pesquisa/reciclagem/lixo2.html
Curiosidade (texto):
As estatsticas atuais apresentam o lixo como um dos maiores problemas da sociedade e das cidades modernas. A questo tem incio nos hbitos e no modo de vida da populao. O lixo ainda no possui gerenciamento adequado e com isso aparecem inmeras conseqncias ambientais, sociais e graves problemas de sade pblica. O impacto ambiental resultado do mau gerenciamento do lixo traduz-se: na contaminao de solos, subsolos e cursos dgua; enchentes e eroses; grandes desgastes para a flora e fauna; poluio. Dados mundiais do lixo A produo de resduos slidos no mundo chega a 2 milhes de toneladas por dia, 730 milhes de toneladas ao ano. Ano aps ano, a quantidade de resduos e produtos que se tornam lixo aumenta. Apenas o Japo e a Alemanha diminuem a relao lixo por habitante (Daminelli, 1993). Estados Unidos geram 230 milhes de toneladas ao ano. Nova York gera 14 mil toneladas dirias, 5.110.000 toneladas ao ano; somados ao Canad e pases ocidentais da Europa, atinge-se 56% do total mundial. A Amrica Latina produz 100 milhes de toneladas ao ano, 13% do total mundial. Nos pases do hemisfrio norte (mais ricos), a mdia a produo de 1,9 Kg por pessoa; em alguns pases o nmero chega a 2,0 Kg ou mais. Nos pases do hemisfrio sul (mais pobres), os nmeros variam de 1,0 Kg por pessoa e podem chegar a 0,3 Kg por dia ou menos. A condio scio-econmica diretamente ligada produo dos resduos. Dados Brasileiros O Brasil gera cerca de 150.000 toneladas dirias de resduos (Grimberg, 2005); Cada indivduo produz 1,0 Kg de lixo diariamente. A cidade de So Paulo gera entre 12.000 e 14.000 toneladas dirias de resduos. As 13 maiores cidades so responsveis por 31,9% de todo o lixo urbano brasileiro. O nmero de crianas nos aterros chega a 45 mil. A estimativa de que existam entre 200 mil a 800 mil catadores trabalhando em depsitos a cu aberto ou nas ruas. Segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Bsico do IBGE, 2000: 125.281 mil toneladas de resduos so coletadas diariamente, onde 30,5% vo para lixes, 22,3% para aterros controlados e 47,1% vo para aterros sanitrios (ampliando em 40% o volume de 1995). Portanto, no mnimo 52,8% dos resduos so depositados de forma inadequada uma vez que aterros controlados no so a forma mais segura de depsito final e sua fragilidade expe facilmente os mesmos problemas dos lixes. A maior parte dos municpios (3.502), 63,6% destinam os resduos para lixes. Os aterros e lixes recebem juntamente os resduos de diferentes origens: residenciais, hospitalares, industriais e de construo civil. Do total, 2.569 cidades vazam o lixo hospitalar no mesmo aterro dos resduos urbanos. Os resduos perigosos industriais chegam a 2,7 milhes de toneladas ao ano (ABETRE). A maior parte do sul e do sudeste. Apenas 20% tm destinao correta em aterros sanitrios e incinera. Os resduos dos veculos automotores so responsveis por 85% da poluio atmosfrica. Do total, 15% dos domiclios brasileiros no tm coleta; portanto, 20 mil toneladas dirias aproximadamente so dispersados nas ruas, galerias, cursos dgua (Novaes, 2005). As cidades de So Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba em pouco tempo no tero como receber mais os resduos em seus aterros Os resduos orgnicos representam 69% do total descartado no pas. So 14 milhes de toneladas de sobras de alimentos segundo o Ministrio da Agricultura, por procedimentos inadequados durante a produo, industrializao, armazenagem, transporte e distribuio. Poderiam ser alimentados com as sobras desperdiadas, 19 milhes de pessoas, diariamente. DESTINAO FINAL DOS RESDUOS LIXO rea onde se localiza o depsito, originado pela simples descarga de resduos sobre o solo sem que se leve em conta os cuidados com o meio ambiente ou sade pblica. Vazadouros a cu aberto e sem nenhuma medida de controle, os lixes so o destino mais comum dos resduos brasileiros e acarretam desta forma muitas conseqncias ambientais e de sade pblica: Escoamento de lquidos formados como o chorume (lquido de cor preta, mau cheiroso e de elevado potencial poluidor produzido pela decomposio da matria orgnica contida no lixo), que percolados podem contaminar o solo, as guas superficiais e subterrneas. O espalhamento de lixo, como papis e plsticos, pela redondeza, por ao do vento; proliferao de vetores de doenas (moscas, mosquitos, baratas, ratos etc.), gerao de maus odores; disposio de dejetos originados dos servios de sade e das indstrias; criao de porcos e a existncia de catadores (que, muitas vezes, residem no prprio local). ATERRO CONTROLADO Tcnica que utiliza o mtodo de compor uma camada de material inerte sobre os resduos slidos depositados no solo. De menor impacto, oferece menores riscos sade pblica. Pode comprometer as guas subterrneas e o solo. Na maioria das vezes, no tem tratamento para o chorume ou para o gs. ATERRO SANITRIO Processo fundamentado em tcnicas de engenharia e em normas tcnicas que permite o aterramento, com solo, dos resduos slidos de forma adequada. A tcnica conta com a impermeabilizao do solo, com argila e lona plstica para evitar infiltrao dos lquidos percolados, no solo. Os lquidos percolados so captados (drenados) atravs de tubulaes e escoados para lagoa de tratamento. Para evitar o excesso de guas de chuva, so colocados tubos ao redor do aterro.Os gases liberados so c aptados e queimados ou ainda utilizados como fonte de energia (aterros energticos). INCINERAO Processo de decomposio trmica, onde h reduo de volume, superior a 90% e de peso, superior a 75%. Na falta de espao, uma opo incinerar os resduos, diminuindo seu volume drasticamente, para ento disp-los em aterro. H a diminuio da periculosidade dos resduos, com a eliminao da matria orgnica . Eficiente do ponto de vista sanitrio, portanto as preocupaes se voltam para os resultantes poluidores do ar e pela utilizao de fornos de custo alto. Atualmente, o tratamento de gases vem se sofisticando, perseguindo a meta de emisso zero. No Japo h cerca de 100 modelos diferentes de incineradores, que variam conforme as finalidades e quantidades - as comunidades prximas s instalaes costumam participar ativamente das decises sobre a sua implantao e operao. COMPOSTAGEM Processo que permite a deposio de resduos orgnicos domsticos, como adubo de plantaes. Retira o material orgnico do volume produzido de resduos e melhora a qualidade dos solos para as culturas. A tcnica abrange todos os diferentes tipos de matria orgnica. BIOGS Ao se decompor, a matria orgnica presente no lixo gera o biogs, que constitudo basicamente por metano (CH4) e dixido de carbono (CO2). O metano, combustvel nobre obtido aps um processo de separao das demais substncias, pode ser empregado para movimentar motores automotivos ou geradores de energia eltrica O biogs produzido pelo aterro campineiro tem sido desperdiado. queimado em poos de monitoramento, como medida de segurana. A queima pura e simples do combustvel, como vem sendo feita atualmente, contribui para o aumento da poluio atmosfrica e, conseqentemente, para a ampliao do efeito estufa, fenmeno responsvel pelo aquecimento gradual do planeta.