• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Como montar uma empresa de reciclagem de papel?
País: Brasil
Fonte: Setor Reciclagem
Data: 6/2015
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.setorreciclagem.com.br/reciclagem-de-papel/como-montar-uma-empresa-de-reciclagem-de-papel/
Curiosidade (texto):
BY RICARDO RICCHINIIN RECICLAGEM DE PAPEL 2 JUN, 2015 A reciclagem de papel uma atividade industrial que diminui o consumo de recursos naturais e impede que este resduo acumule em aterros sanitrios, gerando renda no processo. Aconselhvel ler antes nossa introduo sobre Como montar uma empresa de reciclagem A maior parte do papel destinado reciclagem gerado por atividades comerciais e industriais. Existem vrias categorias de aparas nome genrico dado aos resduos de papel, industriais ou domsticos classificados pelo Instituto de Pesquisas Tecnolgicas de So Paulo e pela Associao Nacional dos Fabricantes de Papel e Celulose. Veja a lista clicando aqui. Cada uma tem seu valor e separ-las eficientemente um dos segredos do sucesso do negcio. As aparas mais nobres so as brancas de primeira, que no tm impresso ou qualquer tipo de revestimento, enquanto s aparas mistas, que so formadas pela mistura de vrios tipos de papis tem pouco valor comercial. O que pode ou no ser reciclado? Tecnicamente no existe material que no possa ser reciclado, o que ocorre que a viabilidade econmica e a falta de vontade poltica reduzem os produtos que so efetivamente reciclados. De toda maneira importante separar os papeis dos materiais proibitivos, como papel carbono, papel e papelo revestidos ou impregnados com substncias impermeveis gua, papel e papelo laminados, tratados ou revestidos com plsticos, betume ou camada metlica, colas a base de resinas sintticas, fitas adesivas sintticas. Alguns processos produtivos: Papel ondulado Tambm conhecido como corrugado, usado basicamente em caixas para transporte de produtos para fbricas, depsitos, escritrios e residncias. Normalmente chamado de papelo, embora o termo no seja tecnicamente correto, este material tem uma camada intermediria de papel entre suas partes exteriores, disposta em ondulaes, na forma de uma sanfona. Processo: Encaminhado pelos aparistas s indstrias papeleiras, o material desagregado no hidrapulper, uma espcie de liquidificador gigante que separa as fibras, transformando-as em uma mistura homognea. Em seguida, por meio de peneiras, retira-se as impurezas, como fitas adesivas e metais. No caso do papel ondulado, ao contrrio do papel de escritrio, no preciso aplicar tcnicas de limpeza fina, retirada de tintas, branqueamento do material e lavagens especiais. Com as fibras de melhor qualidade faz-se a capa de papel que colocada na superfcie externa da caixa de papelo. As de qualidade inferior so usadas na fabricao do forro, que reveste a parte interior. E as de pior qualidade servem para produzir o miolo ondulado, por meio de uma mquina que se chama corrugadeira. - Papel de escritrio Nome genrico dado a uma variedade de produtos usados em escritrios, incluindo papis de carta, blocos de anotaes, copiadora, impressora, revistas e folhetos. A qualidade medida pelas caractersticas de suas fibras. Papis de carta e copiadora so normalmente brancos, mas podem ter vrias cores. A maioria dos papis de escritrio fabricada a partir de processos qumicos que tratam a polpa da celulose, retirada das rvores. Entretanto, papel jornal feito com menos celulose e mais fibras de madeira, obtidas na primeira etapa da fabricao do papel, e por isso so de menor qualidade. O lixo derivado do papel de escritrio formado por diferentes tipos de papis, forando os programas de reciclagem a priorizar a coleta de algumas categorias mais valiosas, como o papel branco de computador. Embora tenham menor valor, os papis mesclados, contendo diferentes fibras e cores, so tambm coletados para reciclagem. Os papis para fins sanitrios (toalhas e higinicos) no so encaminhados para reciclagem. O mesmo ocorre com papis vegetais, parafinados, carbono, plastificados e metalizados Processo: O papel separado do lixo e vendido para sucateiros que enviam o material para depsitos. Ali, o papel enfardado em prensas e depois encaminhado aos aparistas, que classificam as aparas e revendem para as fbricas de papel como matria-prima. Ao chegar fbrica, o papel entra no Hidrapulper, que desagrega o papel, formando uma pasta de celulose. Uma peneira abaixo do rotor deixa passar impurezas, como fibras, pedaos de papel no desagregado, arames e plstico. Em seguida, so aplicados compostos qumicos gua e soda custica para retirar tintas, mas existem processos menos agressivos. Uma depurao mais fina, feita pelo equipamento Centre-cleaners, separa as areias existentes na pasta. Discos refinadores abrem um pouco mais as fibras de celulose, melhorando a ligao entre elas. Finalmente, a pasta branqueada com compostos de cloro ou perxido, seguindo para as mquinas de fabricar papel. Depois de selecionado e enfardado vendido para as indstrias de papel que o utilizam como matria prima na produo de papel novo.