Textos e Trabalhos Ténicos

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:









Encontrado(s) 43 Trabalho(s) Técnico(s) no assunto PNEUS

Clique para acessarA LOGSTICA REVERSA DE PS-CONSUMO DE PNEUS INSERVVEIS NO BRASIL

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Existe atualmente uma tendncia mundial no mercado de se utilizar cada vez mais materiais reciclveis. A Logstica Reversa de Ps-consumo de Pneus Inservveis junto com as diversas atividades de reciclagem de produtos passaram a ter maior importncia nas empresas, motivadas por aspectos scio-ambientais. A Logstica Reversa de Pneus Inservveis, por meio de sistemas operacionais de fluxos reversos, permite o retorno dos materiais ao ciclo produtivo, com isso agrega valor econmico, ecolgico e legal. Ao planejar as redes reversas e ao operacionalizar o fluxo Ps-consumo, por meio dos processos logsticos de coleta, separao, compactao e consolidao at a reintegrao do ciclo produtivo o que torna a Logstica Reversa uma atividade altamente complexa. No Brasil, uma das formas mais comuns de reaproveitamento dos Pneus Inservveis o combustvel alternativo para as indstrias de cimento. Mais recentemente, surgiram estudos para utilizao dos Pneus Inservveis como componentes para a fabricao de manta asfltica e asfalto-borracha, processo que tem sido acompanhado e aprovado pela indstria brasileira de pneumticos. O presente artigo tem como objetivo analisar e discutir o ciclo da Logstica Reversa de Ps-consumo de Pneus Inservveis. A metodologia empregada no artigo foi embasada em consultas s fontes bibliogrficas e de referencial terico como: artigos, livros, teses, dissertaes e websites com contedos sobre Logstica Reversa, Ps-consumo e Reciclagem de Pneus Inservveis. Conclui-se que para as empresas que esto inseridas em um mercado de alta competitividade, de suma importncia contribuir, criar e manter uma sociedade sustentvel. Os Pneus Inservveis dispostos inadequadamente constituem passivo ambiental, que pode resultar em srio risco ao meio ambiente e sade pblica, ao passo que, quando reutilizados podem gerar produtos de grande valor econmico.

Clique para acessarA LOGSTICA REVERSA DOS PNEUS INSERVVEIS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarA Logstica Reversa: o caso da destinao de pneus inservveis no Brasil

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: A partir da Resoluo CONAMA n 258/99, que regulamenta o processo de destinao final de pneumticos, observou-se a estruturao de uma cadeia de logstica reversa de pneus inservveis no pas, que vem se consolidando ao longo do tempo. Esta logstica reversa inclui desde a coleta de pneus nos municpios at sua destinao final, especialmente via co-processamento em fornos de cimenteiras. Este trabalho tem como objetivo caracterizar a cadeia logstica reversa de pneus inservveis no pas, a partir da anlise do ambiente institucional e do levantamento de dados primrios e secundrios. Tambm avana no sentido de estimar a gerao de pneus inservveis para todos os municpios brasileiros, vis-a-vis a oferta de infraestrutura de destinao disponvel no pas. Com isso, foi possvel observar que o pas ainda enfrenta gargalos importantes no descarte desse tipo de resduo, relacionados principalmente oferta e localizao da infraestrutura para destinao existente, bem como ao processo logstico envolvido. Por outro lado, interessante destacar a alternativa encontrada para seu aproveitamento, envolvendo a coordenao de uma srie de empresas e instituies. Como resultado, o resduo foi transformado em matria-prima de alto valor, substituindo parte da energia fssil utilizada na fabricao de cimento.

Clique para acessarA Utilizao da Gaseificao de Pneus Usados em Leito Fluidizado para a Produo de Energticos

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O crescimento das grandes cidades, da industrializao e do consumo, tem orado a civilizao a conviver com um processo mais intenso de degradao do meio ambiente, ameaando os recursos naturais e energticos, alm da maior produo de resduos slidos, lquidos e gasosos. Isto tem trazido preocupao com relao sustentabilidade do processo de crescimento das economias mundiais e ao futuro dos recursos esgotveis. Desta forma, torna-se essencial a utilizao de combustveis obtidos a partir de fontes renovveis ou dos resduos gerados pela atividade industrial e pelas cidades. Alguns dos resduos mais representativos do processo de crescimento dos centros urbanos so os pneus automotivos que descartados sem quaisquer cuidados trazem srias consequncias ao meio ambiente e s populaes. Com este objetivo apresentamos a proposta de processamento desse resduo atravs da gaseificao em um reator de leito fluidizado. Os sub-produtos deste processamento possuem elevado potencial de reutilizao na indstria, quer seja como insumos de processos produtivos (negro de fumo presente nas cinzas), quer seja como energticos (volteis e o leo obtido a partir da condensao dos vapores da gaseificao). Este ltimo sub-produto apresenta boas qualidades como combustvel (seu PCI de cerca de 40 MJ/kg). Este trabalho apresenta alguns dos resultados obtidos em tais experimentos.

Clique para acessarAlianas como forma de ampliar a coleta de pneus inservveis

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Este ensaio procura responder questo: as alianas empresariais contribuem com o processo de logstica reversa de Pneus? Para desenvolvimento do tema necessrio versar sobre pneus, logstica reversa e alianas estratgicas. A hiptese que norteia o trabalho a de as alianas empresariais ampliam o potencial de coleta de pneus inservveis. O trabalho objetiva identificar como as parcerias influenciam no processo de logstica reversa de pneus inservveis, e especificamente: indicar o potencial gerado pelas alianas empresariais para o processo de logstica reversa de pneus inservveis. De cunho exploratrio, a bibliografia versa sobre pneus e logstica reversa, enquanto que a coleta de informaes via entrevistas estruturadas com empresrios do ramo de pneus e o servio pblico de coleta de resduos visa aprimorar a compreenso das alianas empresariais sobre o processo logstico. Os resultados indicam que a hiptese se confirma em meio ao grande nmero de pneus inservveis coletados pelo servio pblico, menos entre revendedores e transportadores que estabelecem parcerias.

Clique para acessarAMBIENTAO TRMICA DE CASAS DE MADEIRA UTILIZANDO PAREDES EXTERNAS RECHEADAS COM ARGAMASSA CONTENDO CASCA DE ARROZ, RESDUOS DE BORRACHA (PNEU) OU GARRAFA PET TRITURADA

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O objetivo deste trabalho buscar alternativas para reaproveitamento de rejeitos de garrafa PET, pneu e casca de arroz. A alternativa proposta sua reutilizao como adio em argamassa de enchimento de painis tipo sanduche para paredes externas de casas de madeira, visando obter melhor desempenho trmico. Para cada um desses materiais foram preparadas amostras em argamassa, tendo gesso como aglomerante. Adotou-se ainda como referncia peas em puro gesso e gesso com vermiculita. Para comparar estes prottipos com os painis usados em casas de madeira, executou-se tambm amostras em madeira. Assim, foram avaliadas oito alternativas de paredes externas, sendo trs em madeira e cinco do tipo sanduche, contendo pea em madeira, gesso como recheio e compensado de 15mm. Para expor os oito prottipos sob efeito de uma fonte de calor radiante foi executada uma caixa em madeira, revestida internamente em papel alumnio. As temperaturas dos prottipos foram monitoradas no eixo da face interna e da face externa dos oito conjuntos. Verificou-se que os prottipos avaliados apresentam, considerando isolamento trmico, melhor desempenho que os projetos oferecidos regularmente pelos fabricantes de casas de madeira. Considerando o enfoque principal do trabalho, conclui-se que possvel ambientar melhor as edificaes de madeira inserindo novos materiais em seus sistemas construtivos. No grupo de amostras onde foi adotado gesso como aglomerante, quando se analisa o desempenho destas camadas, verifica-se variabilidade muito pequena entre elas, j que todas propiciaram redues de temperatura, entre as interfaces internas e externas do sanduche, muito prximas de setenta por cento.

Clique para acessarANLISE DA LOGSTICA REVERSA DE PNEUS USADOS E INSERVVEIS E SEUS IMPACTOS AMBIENTAIS QUANDO DESCARTADOS INADEQUADAMENTE

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarAproveitamento industrial da borracha reciclada de pneus usados : (a reciclagem do resduo 160103 da L.E.R.)

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: As actuais sociedades de elevado conforto esto a descartar um pneu de cerca de 9 a 10kg, por habitante e por ano. Estes pneus no so um resduo perigoso, mas a sua forma traz problemas sanitrios e dificuldades importantes na sua disposio final. Alm de que, se impropriamente armazenados, podem incendiar-se acidentalmente tornando-se num problema ambiental grave. O processamento deste resduo um dilema, j que o valor intrnseco dos bens que o constituem so altos, mas o seu aproveitamento cria dificuldades logsticas e tecnolgicas que fazem com que os processos de reciclagem tenham custos elevados. Os pneus so constitudos essencialmente por borrachas, natural e sintticas, vulcanizadas e o processo de vulcanizao faz com que o reaproveitamento dos seus constituintes originais seja impossvel, quer pela impossibilidade de reverter o processo de vulcanizao quer pela impossibilidade de separar da matriz molecular criada os restantes componentes. Esta dificuldade acrescida dada a disparidade das naturezas dos materiais utilizados no fabrico do pneu. Os governos dos pases mais desenvolvidos tm criado por via legislativa, ambientes propcios a uma correcta disposio final deste resduo. Nos Estados Unidos da Amrica o caminho seguido tem sido o de procurar influenciar o mercado, na Europa a opo preferida tem sido a de responsabilizar o fabricante do bem pelo eliminar do resduo, de forma ambientalmente correcta. Tende a considerar-se, na Europa, que o poluidor quem produz o bem e no quem o utiliza. Portugal no foge a esta regra e tem tido algum pioneirismo na procura de solues. A opo em Portugal foi a de obrigar os produtores a constituir uma Entidade Gestora do Sistema de Gesto de Pneus Usados. No presente trabalho analisa-se a legislao que implementa o Sistema de Gesto de Pneus Usados, a sua praticabilidade, oportunidade, limites e incoerncias. Compara-se a soluo adoptada em Portugal com as solues implementadas noutros pases. , ainda, avaliada a utilizao de tcnicas industriais de baixo custo e fcil implementao que permitam o consumo do granulado de borracha resultante da reciclagem dos pneus, em grandes quantidades e que possam representar solues ambiental e economicamente eficientes para a valorizao destes reciclados. Present comfort demanding societies are throwing away one tyre, weighing 9 to 10kg, per inhabitant per year. These tyres are not considered a dangerous residue, but its shape brings sanitary problems and important difficulties to its final destination. Furthermore, if inadequately stored, they can accidentally get on fire becoming a serious problem for the environment and public health. Processing this residue is a dilemma, the inherent constituents are valuable, but the technologic and logistics difficulties of the recovery process make the recycling process a very expensive one. Tyres are mainly made of vulcanized rubber, natural and synthetic ones, and these constituents recovery is impossible once the vulcanization process takes place. It is also impossible to recover the other ingredients, from the molecular network created on vulcanizing. This difficulty is augmented due to the nature and variety of the materials used to build the tyre. The governments in the most developed countries have been creating, through legislation, favorable conditions to a correct disposal of these residues. While in the United States of America the chosen way has been to influence the market, in Europe the preferred option has been to make the goods producer liable for the residue elimination in an environmental friendly way. In Europe the polluter is considered to be the producer of the good, not the user. Portugal has been a pioneer in the search for solutions. The option has been to force the producers to create one only society for managing an extended producers responsibility framework called SGPU - Sistema de Gesto de Pneus Usados (Used Tyre Management System). In this work the legislation that implements the Portuguese SGPU is analyzed considering its feasibility, opportunity, limits and incoherencies. The solution chosen in Portugal is compared with options from other countries. In this work it is also evaluated the use of industrial low cost techniques and easy procedures which could allow for the consumption of huge amounts of rubber resulting from tyre recycling and represent economical and environmental efficient solutions for the valorization of these recycled. Actualmente, los pases desarrollados generan residuos de neumticos a un ratio aproximado de 9 a 10kg, por habitante y por ao. Estos neumticos no son un residuo peligroso, pero su forma aporta problemas sanitarios y dificultades importantes en su reciclado final. Y, adems, si no se almacenan de forma apropiada, pueden incendiarse accidentalmente tornndose un problema medioambiental grave. El procesamiento de este residuo es un dilema, porque el valor intrnseco de los materiales con que se fabrica es alto, pero su aprovechamiento genera dificultades logsticas y tecnolgicas que suponen un alto coste en los procesos de reciclado. Los neumticos son fabricados esencialmente, por goma vulcanizada, natural y sinttica y el proceso de vulcanizacin hace con que el reaprovechamiento de las materias primas originales sea imposible, bien por la imposibilidad de revertir el proceso, bien por la imposibilidad de separar de la matriz molecular creada los dems componentes utilizados en la fabricacin del neumtico. Los gobiernos de los pases mas desarrollados han creado va legislativa, ambientes propicios a un reciclado ptimo de este residuo. En Estados Unidos el camino seguido ha sido el de influir en los consumidores, mientras que en Europa la opcin elegida es responsabilizar al fabricante del producto de la eliminacin del mismo al final de su vida til por procedimientos medioambientalmente correctos. En Europa se considera que el contaminador es quin produce el bien y no quien lo usa. Portugal como pas miembro de la Unin Europea tambin sigue esta regla y es pionero en la bsqueda de soluciones. La opcin de Portugal ha sido obligar a los productores a crear una Sociedad encargada del sistema de gestin de neumticos usados (Entidad Gestora). En lo presente estudio se analizada la legislacin portuguesa que implementa el Sistema de Gesto de Pneus Usados (sistema de gestin de neumticos usados de Portugal), su funcionamiento, oportunidad, lmites e incoherencias. Por otro lado se compara la solucin escogida por Portugal con las soluciones implementadas en otros pases. Por ltimo se estudia la utilizacin de tcnicas industriales de bajo coste y fcil implementacin que permitan el consumo de granulado de caucho resultante de la reciclaje.

Clique para acessarAvaliao do comportamento do concreto com adio de borracha obtida a partir da reciclagem de pneus com aplicao em placas pr-moldadas

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarBenefcios da incorporao de borracha de pneus em pavimentos asflticos

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarComo funciona a reciclagem de pneus

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Desde 1999, as indstrias de pneus brasileiras tm que dar uma destinao ambientalmente correta para os pneus usados, graas resoluo 258 do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Desde ento, as empresas so obrigadas a correr atrs para tentar conseguir aproveitar e sistematizar a coleta de pneus.

Clique para acessarEcopneu: soluo da COMLURB para gerenciamento de pneus inservveis

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: At o incio do ano de 2001, milhares de pneus inservveis eram descartados nas vias pblicas, terrenos baldios, rios e lagoas do Municpio do Rio de Janeiro, com predominncia nas regies oeste e norte da cidade, causando graves prejuzos ao meio ambiente, sade da populao e esttica urbana.Diante deste grave problema de limpeza e de sade, foi elaborada, pela COMLURB, uma Poltica de Gerenciamento de Pneus Inservveis, que vem produzindo excelentes resultados, com a eliminao de mais de 95% dos problemas decorrentes do descarte inadequado de pneus

Clique para acessarESTUDO DA DESTINAO E DA RECICLAGEM DE PNEUS INSERVVEIS NO BRASIL

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: A grande quantidade de pneus descartados no Brasil tem motivado a proposio de medidas amenizadoras dos impactos ambientais e a realizao de pesquisas sobre possveis mtodos de seu reaproveitamento. Os pneus inservveis so depositados iinteiros em aterros de lixo comum ou jogados em vias pblicas, rios e crregos. Quando empilhados em quintais ou terrenos baldios, propiciam a proliferao de animais que podem transmitir doenas como a leptospirose e dengue, quando queimados emitem gases txicos. Em funo disto, este trabalho tem como objetivo discutir a temtica da destinao de pneus usados no Brasil e verificar o grau de conscientizao de uma parcela da populao com relao s alternativas sustentveis para seu reaproveitamento. Foi realizada uma pesquisa exploratria por meio de consulta a referncias bibliogrficas tradicionais e uma pesquisa tipo survey junto a 58 pedestres da avenida economicamente mais importante do Brasil (Avenida Paulista - SP), que foram escolhidos aleatoriamente.

Clique para acessarESTUDO DA VIABILIDADE DE RECICLAGEM DE PNEUS E SEU USO NA FABRICAO DE ASFALTO ECOLGICO

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O grande crescimento da frota brasileira de automveis nas ltimas duas dcadas trouxe consigo dois grandes problemas: o desgaste elevado das faixas de rodagem e problemas ambientais relacionados ao descarte de pneus. Assim, apresenta-se o asfalto borracha como uma boa soluo para destinao desses pneus, por utilizar a borracha de pneus inservveis em sua produo, e resolver o problema de capeamento de vias. Nesse trabalho, fez-se uma estimativa do nmero de pneus inservveis gerados pela frota veicular circulante pela Unicamp e quanto de asfalto borracha poderia ser gerado a partir desses. Tambm se analisou a viabilidade da aplicao de um projeto de captao de pneumticos inservveis na regio.

Clique para acessarGERENCIAMENTO DE PNEUMTICOS INSERVVEIS (GPI): ANLISE CRTICA DE AES INSTITUCIONAIS E TECNOLOGIAS PARA MINIMIZAO

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: No Brasil, a disposio final inadequada de pneumticos inservveis gera problemas ambientais de grandes propores, principalmente, no meio ambiente urbano, tornando-se necessria a minimizao destes inservveis. Nesse contexto, este trabalho objetiva analisar criticamente as aes institucionais existentes, bem como, as tecnologias e usos que vm sendo adotados no territrio nacional, aps a instituio das Resolues CONAMA n 258/99 e 301/02. A partir desta anlise, constata-se a necessidade de maior articulao entre os segmentos envolvidos, da ampliao dos programas existentes e de investimentos em novas pesquisas para o desenvolvimento de tecnologias para a minimizao destes resduos de modo a no transferir s futuras geraes os problemas que atualmente so enfrentados.

Clique para acessarGerenciamento de pneumticos inservveis: anlise crtica de procedimentos operacionais e tecnologias para minimizao, adotadas no territrio nacional.

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O pneu, aps mais de 150 anos de desenvolvimento e ainda com um papel insubstituvel e fundamental na vida atual, quando se torna inservvel constitui um passivo ambiental. No Brasil, em face da quantidade significativa gerada, e da durabilidade dos pneumticos inservveis, os problemas ambientais decorrentes de sua disposio final inadequada assumem grandes propores, principalmente, no meio ambiente urbano, se tornando necessria minimizao desses resduos slidos especiais por meio de seu gerenciamento, com a articulao de aes da municipalidadee dos responsveis diretos e indiretos identificados pelas Resolues CONAMA n 258 / 99 e 301 / 02, e pela Instruo Normativa n 08/02, do IBAMA. Considerando esse contexto, esta pesquisa teve como objetivo principal, analisar, criticamente, osprocedimentos operacionais e as tecnologias que vem sendo adotados para o gerenciamento de pneumticos inservveis no territrio nacional, aps a instituio das Resolues CONAMA retro mencionadas. A pesquisa bibliogrfica realizadapossibilitou avaliar a evoluo dos procedimentos de manejo, diagnosticando a situao atual do gerenciamento desses resduos slidos especiais, no territrio nacional, as suas interfaces com as legislaes ambientais em vigor, o grau de envolvimento e conscientizao dos responsveis indiretos, bem como as alternativas tecnolgicasexistentes para a minimizao destes resduos. Espera-se que este trabalho possa contribuir para o aprimoramento do gerenciamento de pneumticos inservveis com nfase nas estratgias para coleta e aproveitamento destes resduos e maior interaoentre segmentos responsveis. Dessa forma, os impactos ambientais e os problemas de sade pblica, decorrentes do manejo inadequado desses inservveis no meio urbano podero ser minimizados, possibilitando que no se transfira s futuras geraes problemas que, atualmente, so enfrentados.

Clique para acessarGerenciamento de pneus inservveis: Estudo da destinao e reciclagem

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Os pneus inservveis se tornaram, devido significativa quantidade existente no mundo, em um srio problema ambiental. Sendo assim, com a necessidade de reduzir o passivo ambiental representado pelo estoque de pneus descartados que hoje existem, medidas mitigadoras dos impactos ambientais negativos esto sendo avaliadas. Os objetivos do presente trabalho so de apresentar alternativas para gerenciamento de coleta de pneus inservveis abandonados, investigar as legislaes ambientais aplicveis e sugerir destinao final adequada para os mesmos. A metodologia utilizada nesse artigo baseou-se em um levantamento bibliogrfico sobre os problemas sanitrios e ambientais relacionados ao acmulo e disposio inadequados de pneus inservveis alm de algumas formas conhecidas de reutilizao e reciclagem desse material. A disposio final dos pneus inservveis no mundo no deve ser considerada uma tarefa a ser resolvida apenas pelo poder pblico, deve haver uma conscientizao com o engajamento de toda populao Vrias solues so apresentadas, algumas at sendo empregadas com sucesso econmico, como o uso da matria prima dos pneus, porm ainda so aes pontuais e muito pequenas, com relao quantidade de pneus usados descartados anualmente no Brasil.

Clique para acessarGestao ambiental de pneus inservveis no Brasil: identificaao de fluxos e contribuiao para polticas pblicas de destinaao

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarLOGSTICA REVERSA DOS PNEUS INSERVVEIS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarLOGSTICA REVERSA DOS PNEUS PS- LOGSTICA REVERSA DOS PNEUS PS- CONSUMO NO BRASIL CONSUMO NO BRASIL

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Os pneus usados esto se tornando um problema mundial. Em 2007, foram produzidos 1,413 bilhes de pneus, com um crescimento de 4% em relao a 2006. A gerao anual de pneus inservveis em todo o mundo de 1 bilho. No passado, pouca importncia foi dada ao assunto: pneus usados eram descartados em enormes aterros nos pases mais desenvolvidos. Nos pases emergentes, o problema era simplesmente ignorado, muitas vezes o destino final desses pneus eram terrenos baldios, rios, crregos, entre outros. No Brasil em 2009, foram produzidos 53,8 milhes de pneus, importados 4,7 milhes e exportados 14,5 milhes de pneus novos. Ocorreu uma queda na produo de 10%. A tendncia para a indstria de pneumticos em 2010 a recuperao de 20% do mercado de reposio perdido nos ltimos anos para os pneus chineses de carga e automvel. Em 2009, foram importados 2,15 milhes de pneus usados, ou 19,2 mil toneladas com custo US$ 1,33 por pneu. A pesar da proibio da importao, os pneus usados continuam entrando no Brasil pelo Uruguai e Paraguai. Em 2009, entraram pelo Mercosul 45,5% do total importado.

Clique para acessarModelo conceitual da cadeia logstica reversa de pneus inservveis

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: No Brasil, produtores e importadores de pneumticos so responsveis por uma adequada coleta e destinao dos pneus inservveis gerados em territrio nacional. No entanto, observa-se que a quantidade de pneus inservveis destinada de forma correta ainda encontra-se abaixo da meta estipulada. Este trabalho tem por objetivo propor um modelo conceitual de cadeia logstica reversa de pneus inservveis. Foi realizada uma pesquisa bibliogrfica e documental de experincias nacionais e internacionais sobre a coleta, armazenagem, processamento e destinao de pneus inservveis, com o intuito de subsidiar a elaborao do modelo proposto. Acredita-se que por meio de uma anlise da cadeia logstica reversa de pneus inservveis seja possvel verificar melhores prticas para a reintroduo deste resduo no ciclo produtivo.

Clique para acessarModelo matemtico para estimativa do nmero acumulado de pneus inservveis : simulao para o estado do Rio Grande do Norte

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarOS DESTINOS DOS PNEUS INSERVVEIS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPavimentos intertravados de concreto utilizando resduos de pneus como material alternativo

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: A utilizao de resduos tem se mostrado como uma boa alternativa na reduo do impacto causado pelo consumo desordenado de matria-prima e pela reduo das reas de disposio, em virtude do grande volume de resduos descartados a cada ano em todo mundo. Neste contexto se inserem os resduos de pneus provenientes da recauchutagem. Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de estudar algumas propriedades de pavers de concreto, com substituio parcial do agregado por resduos de pneus. Para a produo dos pavers foram consideradas as faixas de consumo de cimento Portland de 292,84 kg/m, 323,06 kg/m e 347,00 kg/m, e os nveis de incorporao dos resduos estudados foram de 8%, 10%, 12%, 15% e 20%, em volume. As propriedades foram: resistncia compresso, absoro de gua, resistncia ao impacto, resistncia abraso profunda e expanso por umidade. Os resultados mostram que ocorre queda na resistncia compresso. Na absoro de gua, no podemos afirmar que essa propriedade afetada de maneira negativa. Os pavers demonstraram grande capacidade de absoro de energia (tenacidade). Os resultados de resistncia abraso mostram-se interessantes para a aplicao em ambientes com baixas solicitaes. A expanso por umidade no afetar o intertravamento dos pavers. Dessa forma, os resultados mostraram viabilidade na utilizao dos pavers com resduos de pneus em pavimentao intertravada com solicitaes leves.

Clique para acessarPlano de Gerenciamento Integrado deResduos Pneumticos - PGIRPN

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPneus

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPneus - Caracterizao e uso

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPneus - Ficha tcnica

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPNEUS E MEIO AMBIENTE: UM GRANDE PROBLEMA REQUER UMA GRANDE SOLUO

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPneus inservveis: um panorama da problemtica e formas de utilizao desse resduo no Brasil

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarPNEUS INSERVVEIS: UM PANORAMA DA PROBLEMTICA E FORMAS DE UTILIZAO DESSE RESDUO NO BRASIL.

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarReciclagem de Pneus

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarReciclagem de pneus

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarReciclagem de Pneus - PETROBRS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarRECICLAGEM DE PNEUS INSERVVEIS: ESTUDO COMPARATIVO DE MTODOS E QUANTIFICAO PARA A CIDADE DO NATAL-RN

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O objetivo desse trabalho foi quantificar o nmero de pneus inservveis descartados mensalmente na cidade do Natal, capital do Rio Grande do Norte, assim como, demonstrar os principais problemas que o acmulo desse material em locais inadequados acarretam ao meio ambiente e a sade pblica. Subsidiando dados para trabalhos futuros em reciclagem e reaproveitamento industrial. Foi realizado um levantamento em borracharias, locais de comrcio de pneus e outros estabelecimentos do ramo de pneumticos, utilizando-se a metodologia de entrevistas com aplicao de questionrio, em amostragem deliberada e sistemtica. O resultado obtido foi de 20.449,80 mil pneus descartados mensalmente. Este nmero foi comparado ao valor resultante do clculo realizado com base na frota de veculos existente em Natal, em que cerca de 21.808,33 mil pneus, de automveis e camionetas, so renovadas mensalmente. A diferena observada entre os dois mtodos de avaliao - cerca de 6% - situa-se dentro da margem de erro estatstico admissvel. Entretanto, sugere-se que parte dessa diferena esteja relacionada aos pneus que so reaproveitados em processos de reciclagem existentes.

Clique para acessarReciclagem de Pneus Inservveis: Valorizao energtica e novos usos

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Este trabalho tem por objetivo identificar as possibilidades de reciclagem de pneus inservveis para reduo de doenas como a dengue e a febre amarela, aumento da vida til dos aterros sanitrios e eliminar o passivo ambiental. O descarte de pneus vem se tornando um problema mundial. A disposio em aterros torna-se invivel, j que o pneu apresenta baixa compressibilidade e degradao muito lenta, alm disso, quando enterrados tendem a subir e sair para a superfcie. Em 26 de agosto de 1999, foi aprovada a resoluo n 258 do Conama, que obriga os fabricantes, importadores e distribuidores a reciclar um pneu a cada quatro produzidos, importados ou distribudos, a partir de 2002. A Anip Associao Nacional das Indstrias de Pneumticos, montaram trs centros de triturao de pneus inservveis em So Paulo (Jundia, Sorocaba e SBC). Os pneus so triturados e as lascas de borracha so enviadas para co-processamento e fabricao tapetes automotivos reciclveis, alm do fornecimento para a indstria de pavimentao asfltica. A anlise dos vrios mercados para utilizao de um nmero significativo de pneus inservveis mostra que somente dois tem potencial: o energtico e o de misturas asflticas.

Clique para acessarReciclagem de pneus: anlise do impacto da legislao ambiental atravs da logstica reversa

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: O descarte de pneus inservveis vem se tornando um problema mundial. No Brasil, desde 2002, os fabricantes e importadores so os responsveis pela coleta e destinao desse material. A partir da reviso da Resoluo no 258/99 e aprovao da Resoluo no 416/09 houve um crescimento no nmero de pontos de coleta, empresas de pr-tratamento e valorizao energtica no pas. O Brasil possui capacidade ociosa em todos os processos existentes de reciclagem e valorizao energtica. Este trabalho apresenta um estudo sobre a logstica reversa dos pneus usados no Brasil, desde os pontos de coleta at a sua destinao final, avaliando o cenrio atual e propondo mudanas para a melhoria dos sistemas implementados pelos fabricantes, importadores, revendas e distribuidores, e pelas empresas de prtratamento. Foram realizadas pesquisas de campo em pontos de coleta, empresas de pr-tratamento, borracharias, empresas de coprocessamento, de triagem e seleo, reformadores e recicladores, associaes que representam os fabricantes, alm de entidades internacionais que trabalham com a reciclagem de pneus com o objetivo de avaliar os modelos utilizados e comparar com o sistema implementado no Brasil. Trata-se de uma alternativa para o cumprimento das metas estabelecidas pelos rgos ambientais para a reduo do passivo ambiental. Foi montado um algoritmo gentico para simulao da coleta e destinao dos pneus usados no Estado de So Paulo, sendo o excedente da capacidade enviado para os Estados de Minas Gerais e para o Paran para coprocessamento.

Clique para acessarRecuperao ambiental de reas erodidas como alternativa de destino final de pneus inservveis.

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus

Clique para acessarRESDUOS SLIDOS: PASSIVO AMBIENTAL E RECICLAGEM DE PNEUS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: A estratgia de desenvolvimento sustentvel - que visa criao, manuteno e ao constante aperfeioamento, direcionados conservao futura de um modelo econmico de crescimento apropriado, capaz de suprir as necessidades da populao atual promovendo o seu bem-estar, sem comprometer as condies de desenvolvimento harmnico das geraes futuras, sua coeso social e a conservao das condies do meio ambiente envolve um rol de medidas de cunho legal, poltico educacional, alm de um sistema de produo que respeite a obrigao de preservar a base ecolgica do desenvolvimento atual e futuro. Gerado no escopo dessa afirmao, o presente trabalho tem como objetivo a discusso do impacto ambiental decorrente do descarte passado e atual de pneus no Brasil. A metodologia usada envolve trs componentes bsicos: (1) reviso bibliogrfica no tocante necessidade de conservao do meio ambiente; (2) reviso documental sobre a quantidade estimada do total de pneus descartados, seu impacto sobre o bem-estar e a sade da populao atual e futura no Pas e todas as formas conhecidas de reutilizao desse material; e (3) reviso crtica da legislao pertinente ao assunto. Como concluso, demonstramos a insuficincia da legislao atual, principalmente no que tange ao passivo ambiental representado pelo acmulo de pneus na natureza e apontamos possveis solues para a questo. Enfatizamos que, no mbito social, a reciclagem, alm de proporcionar melhor qualidade de vida para a populao brasileira, concorre para a gerao de postos de trabalho, principalmente para as camadas sociais marginalizadas pelo advento e pela supremacia da sociedade do conhecimento.

Clique para acessarRESDUOS SLIDOS: PASSIVO AMBIENTAL E RECICLAGEM DE PNEUS

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: A estratgia de desenvolvimento sustentvel - que visa criao, manuteno e ao constante aperfeioamento, direcionados conservao futura de um modelo econmico de crescimento apropriado, capaz de suprir as necessidades da populao atual promovendo o seu bem-estar, sem comprometer as condies de desenvolvimento harmnico das geraes futuras, sua coeso social e a conservao das condies do meio ambiente envolve um rol de medidas de cunho legal, poltico educacional, alm de um sistema de produo que respeite a obrigao de preservar a base ecolgica do desenvolvimento atual e futuro. Gerado no escopo dessa afirmao, o presente trabalho tem como objetivo a discusso do impacto ambiental decorrente do descarte passado e atual de pneus no Brasil. A metodologia usada envolve trs componentes bsicos: (1) reviso bibliogrfica no tocante necessidade de conservao do meio ambiente; (2) reviso documental sobre a quantidade estimada do total de pneus descartados, seu impacto sobre o bem-estar e a sade da populao atual e futura no Pas e todas as formas conhecidas de reutilizao desse material; e (3) reviso crtica da legislao pertinente ao assunto. Como concluso, demonstramos a insuficincia da legislao atual, principalmente no que tange ao passivo ambiental representado pelo acmulo de pneus na natureza e apontamos possveis solues para a questo. Enfatizamos que, no mbito social, a reciclagem, alm de proporcionar melhor qualidade de vida para a populao brasileira, concorre para a gerao de postos de trabalho, principalmente para as camadas sociais marginalizadas pelo advento e pela supremacia da sociedade do conhecimento.

Clique para acessarReuso de pneus em geotecnia

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Este trabalho descreve a pesquisa sobre a tcnica de estabilizao de encostas com o uso de pneus, realizada no Rio de Janeiro, Brasil. Malhas de pneus usados foram testadas como alternativas para construo de muros de conteno e para utilizao como elementos de reforo de solos Um muro experimental com 60m de comprimento e 4m de altura foi construdo com camadas horizontais de pneus preenchidos com solo compactado. Os pneus foram amarrados entre si com corda de polipropileno ou arame de gabio. Uma sobrecarga de solo compactado com 2m de altura foi colocada sobre o retro-aterro de solo. O muro apresenta 4 sees instrumentadas, com caractersticas diferentes quanto amarrao, geometria e configurao dos pneus (cortados ou inteiros). Apresenta-se uma breve descrio dos aspectos construtivos e do comportamento mecnico das 4 sees do muro. Quanto a utilizao de pneus usados como elementos de reforo de solos foram executadas campanhas de ensaios de arrancamento. Nestes ensaios, malhas de pneus cortados e inteiros enterrados, sob diferentes tenses confinantes, foram submetidas a esforos de trao. O objetivo desses ensaios foi avaliar o comportamento tenso-deformao-resistncia do aterro reforado para diferentes arranjos de pneus.

Clique para acessarTecnologias usadas para a reutilizao de pneus

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Os pneus usados esto se tornando um problema mundial. O descarte de pneus cresce ano aps ano em todo o mundo. Pouca importncia foi dada ao descarte de pneus em muitos pases. No Brasil, em 1999, foi aprovada a Resoluo n 258/99 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que instituiu a responsabilidade do produtor e do importador pelo ciclo total do produto, ou seja, a coleta, o transporte e a disposio final. Desde 2002, os fabricantes e importadores de pneus devem coletar e dar a destinao final para os pneus usados. Segundo essa lei, os distribuidores, revendedores, reformadores e consumidores finais so co-responsveis pela coleta dos pneus servveis e inservveis, os quais devem colaborar com a coleta. Neste trabalho sero apresentadas as tecnologias utilizadas no Brasil para a reutilizao, reciclagem e valorizao energtica, alm de um fluxograma do processo de logstica reversa dos pneus novos e usados, dados estatsticos dos canais de distribuio, objetivo da reciclagem e a disposio final, no perodo de 2002 a 2006. Em 2006, foram reciclados 240,62 mil toneladas de pneus inservveis, o equivalente a 48,12 milhes de pneus de automvel. As atividades de laminao, triturao e fabricao de artefatos de borracha representaram 50,02% do total destinado, o co-processamento em fornos de clnquer representou 35,73%, a regenerao de borracha sinttica representou 13,22% e a extrao e tratamento de minerais 1,03%. Palavras-chave: Reciclagem, pneus, tecnologias.

Clique para acessarTecnologias Utilizadas para a Reutilizao, Reciclagem e Valorizao Energtica de Pneus no Brasil

Idioma: Portugus
Assunto: Pneus
Resumo: Os pneus usados esto se tornando um problema mundial. O descarte de pneus cresce ano aps ano em todo o mundo. Pouca importncia foi dada ao descarte de pneus em muitos pases. No Brasil, em 1999, foi aprovada a Resoluo n 258/99 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que instituiu a responsabilidade do produtor e do importador pelo ciclo total do produto, ou seja, a coleta, o transporte e a disposio final. Desde 2002, os fabricantes e importadores de pneus devem coletar e dar a destinao final para os pneus usados. Segundo essa lei, os distribuidores, revendedores, reformadores e consumidores finais so co-responsveis pela coleta dos pneus servveis e inservveis, os quais devem colaborar com a coleta. Neste trabalho sero apresentadas as tecnologias utilizadas no Brasil para a reutilizao, reciclagem e valorizao energtica, alm de um fluxograma do processo de logstica reversa dos pneus novos e usados, dados estatsticos dos canais de distribuio, objetivo da reciclagem e a disposio final, no perodo de 2002 a 2006. Em 2006, foram reciclados 240,62 mil toneladas de pneus inservveis, o equivalente a 48,12 milhes de pneus de automvel. As atividades de laminao, triturao e fabricao de artefatos de borracha representaram 50,02% do total destinado, o co-processamento em fornos de clnquer representou 35,73%, a regenerao de borracha sinttica representou 13,22% e a extrao e tratamento de minerais 1,03%.